segunda-feira, 1 de maio de 2017

GERALDO SCALERA


Geraldo Scalera em ação contra o Rei Pelé

GERALDO SCALERA foi um lateral que jogou (e bem) em alguns clubes, principalmente na Ferroviária e no Palmeiras.
   
Destacou-se no time de Araraquara, onde atuou de 1962 a 1965.
    
Então, o Palmeiras o levou. Interessante notar que foi em um ano (1965) de descenso da AFE, mas mesmo assim o Scalera despertou o interesse do clube da capital, pelo seu bom futebol.
    
De se notar o fato de que na Ferroviária ele era conhecido como Geraldo. Indo para o Verdão, passou a ser chamado de Geraldo Scalera, pois lá também jogou Geraldo Scotto. Para distinguir, usavam-se nome e sobrenome. Dois Geraldos, ambos com sobrenome iniciado com consoante muda.
   
Geraldo Scalera fez 60 jogos pelo Palmeiras. Foram 29 vitórias, 12 empates e 19 derrotas. Além do time de Parque Antártica, defendeu outro clube da cidade de São Paulo: o Juventus, por três anos.
   
Demais clubes: Rio Preto, União São João e Marília.
   
Geraldo Scalera é natural de São Paulo (SP) e nasceu no dia 25 de fevereiro de 1942.
   
Cresceu em bairros paulistanos (Brás, Pari e Mooca), sendo revelado para o futebol na várzea.
    
Muito cedo teve de encerrar a carreira, em 1971, com apenas 29 anos de idade, devido a duas cirurgias do joelho quando perdeu os meniscos.
   
Hoje, Geraldo Scalera reside em Araraquara e relembra, com os muitos amigos, a sua trajetória vitoriosa no futebol. Ele é admirado por uma grande legião de afeanos e esportistas em geral, que tiveram o prazer e o privilégio de vê-lo em ação. 
    
“Ferroviária em Campo” tem a satisfação de reverenciar o seu nome, gravado nas páginas da história do futebol como um atleta exemplar e devotado à sua profissão.

GALERIA DE FOTOS

AFE - em pé: Antoninho, Galhardo, Dudu, Geraldo Scalera, Aparecido e Rodrigues Lindão.
Agachados: Peixinho, Davi, Tales, Bazani e Beni.
AFE 60 - Em pé Egídio, Rossi, Geraldo Scalera, Fogueira, Capitão e Dorival.
Agachados Walter Zum-Zum, Tales, Nilo, Felício e Bececê
  
AFE 1960 - Em pé  Zé Maria, Aparecido, Brandão, Geraldo Scalera, Galhardo e Rodrigues.
 Agachados  Peixinho, Davi, Parada, Bazani e Mateus.
Geraldo Scalera ainda estava na AFE; Ismael já havia jogado na Locomotiva.
Ambos da mesma posição: lateral-direita.

Scalera no Palmeiras, em dia de casa cheia.

Embarque da delegação palmeirense para jogo no Peru, pela Libertadores de 1968.
 Scalera é o primeiro à direita, agachado.

Ex-afeanos Geraldo (segundo à esquerda, em pé) e Dudu (segundo à direita, agachado) formando no Palmeiras

Em pé: Gonçalves, Donah, Carlos, zagueiro não identificado, Celso e Geraldo Scalera.
Agachados: Antoninho, Giba, Adilson, Brecha e Percival


Equipe do Marília Esporte Clube em 1973. Da esquerda para a direita, o primeiro é o goleiro Édson Mug.
O terceiro é Helinho, o quinto é Minuca e o último é Geraldo Escalera

Milionários 2 x 0 Ribeirão Pires, em 1978, com dois gols de Garrincha. Atletas, começando pela esquerda. Em pé: Barbosinha, Garrincha, Benê, Djalma Santos, Roque, Ramos Delgado, Belini (capitão), Carlos, Geraldo Scalera e Capitão. Agachados: Luís, Júlio, Helinho, Marcos, Vilela, Ricardo e Pires

Na formação incompleta do Milionários, alguns craques: Djalma Santos, Ramos Delgado, Geraldo Scalera, Gilmar, Julinho, Servílio e Benê, em 1978, no Parque Antártica: Milionários 1 x 0 Seleção Carioca, gol de Benê

Geraldo Scalera, com a camisa do Palmeiras, em dois tempos: durante a carreira e posteriormente, matando saudades

Fontes:
Que fim levou, de Milton Neves
Acervo de Ferroviária em Campo
Fotos do jogador, por ele cedidas; Que fim levou?; Internet.

Elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

Nenhum comentário:

Postar um comentário