terça-feira, 4 de abril de 2017

ELE FOI COMPARADO A UMA LOCOMOTIVA, PELOS COREANOS... E JOGOU NA FERROVIÁRIA!


“Locomotiva e chute forte como bala”


Em 1976, o Selecionado Paulista de Novos excursionou pelo exterior e fez grande sucesso. A Ferroviária cedeu o maior número de jogadores para a formação desse  selecionado, além de ter o seu técnico, Vail Motta, a orientá-lo. Os cinco afeanos que participaram do giro e se converteram em sucesso absoluto: Sérgio Bergantin, Mauro Pastor, Carlos, Wilson Carrasco e Tatinho. 



Tatinho foi o destaque maior do ataque, assinalando 33 gols e encantando as plateias pelo seu futebol veloz, envolvente e objetivo. Notícias da época deram conta do efeito causado pela presença de Tatinho na ponta-direita da seleção:

"LOCOMOTIVA – Tatinho já tomou conta dos jornais de Seul. Sua foto é estampada com legendas mais ou menos assim: ‘A locomotiva do torneio, que chuta semelhante a uma bala’."
   

   
“Ponteiro-direito Tatinho, revelação grená, vem se constituindo na grande sensação do selecionado Paulista de Novos, que está excursionando pela Coreia. Ainda no jogo de ontem, ao enfrentar o combinado das Coreias ‘A’ e ‘B’, Tatinho fez um gol-relâmpago aos 20 segundos da primeira etapa. O jovem valor grená está querendo receber o prêmio da Loteria Esportiva da Coreia...”

No jogo contra a Malásia, pelo Torneio Internacional denominado “Copa Presidente”, em Seul, jornal de Araraquara realçou:
“Seleção Paulista ganhou jogo com gols araraquarenses” – Os Paulistas ganharam por 2 a 0, gols anotados por Tatinho, aos 19 minutos da etapa inicial e Wilson Carrasco, aos 35 minutos da segunda fase. Tatinho foi considerado o melhor homem em campo. Seus ‘sassaricos’ irritaram os adversários. A equipe brasileira teve como base a Ferroviária de Araraquara: Sérgio Bergantin, Paulinho, Mauro Pastor, Tutu e Nelsinho (Carlos); Nelson Prandi, Wilson Carrasco e Gatãozinho; Tatinho, Wilson Luiz e Yaúca (Titica). O gol de Tatinho foi sensacional. Ele fintou até o goleiro adversário. E o segundo gol foi passe de Tatinho para Wilson Carrasco, que marcou de pé direito.”
Com dezenove minutos de jogo, saía o tento de Tatinho, por cobertura. Chamou a atenção dos asiáticos a forma como ele comemorou o gol, correndo até o banco de reservas e dando uma cambalhota.
E tinha mais: aos 35 minutos, em contra-ataque rápido, Tatinho fintou o lateral e cruzou para Wilson Carrasco, que de “sem pulo” completou para marcar.

“O elemento mais elogiado foi o ponta-direita Tatinho, da Ferroviária, que teve sua foto estampada em dois jornais da cidade, onde era chamado de ‘locomotiva e dono de um chute semelhante a uma bala’.” Até pedrada o desconcertante ponteiro levou. Sua forma de fintar provocava reações ríspidas, por vezes. 

Contra Oman, a Seleção Paulista de Novos estabeleceu 6 a 0. Tatinho marcou dois gols, aos 40 e 42 minutos do primeiro tempo, tendo atuado apenas um período de jogo. Nesse encontro, os Paulistas jogaram com:
Sérgio Bergantin; Paulinho, Mauro, Ademir (Tutu) e Nelsinho; Nelson Prandi (Iaúca), Wilson Luiz e Wilson Carrasco; Tatinho (Carlos Roberto), Titica e Elói. 

Na volta da excursão, o destaque no jornal araraquarense:
“O ponteiro-direito Tatinho, que além de se constituir em valor destacado da Seleção foi ainda um dos seus mais positivos artilheiros, voltou eufórico com a viagem feita:
‘Foi espetacular conhecer muitos países e jogar futebol enfrentando adversários diferentes. Creio que a nossa excursão tecnicamente agradou embora os nossos contrários não sejam exímios jogadores de futebol.’”

E pensar que o jovem Tatinho, com apenas 23 anos de idade, encerrou sua carreira futebolística...  Ele mesmo reconhece que tinha temperamento forte e não pensava nas consequências... mas também é certo que os dirigentes afeanos da época erraram por uma incrível intransigência. Faltou conversa, faltou diálogo. E o futebol perdeu um craque.



Esta matéria foi possível graças ao álbum liberado por Tatinho.

Elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

Nenhum comentário:

Postar um comentário