quinta-feira, 6 de abril de 2017

ALEXANDRE: “É UMA HONRA FAZER PARTE DA HISTÓRIA DA AFE”

(O zagueirão defendeu a Ferroviária em 2010, no acesso à série A2)



Nome: Alexandre Henrique Calisto
Data de nascimento: 21 de março de 1989
Cidade natal: Ribeirão Preto-SP
Apelido: Alexandre, até 2010, quando jogou na Ferroviária
Novo apelido, a partir de 2011: Xandão 
Clubes: Desportivo Brasil, Juventus, Ferroviária, Jataiense, Barretos, CENE, Americano, XV de Piracicaba, Boa Esporte, Tombense, Nacional, São Bento, Tigres do Brasil, Olímpia e Naviraiense (clube atual)
Posição: zagueiro 


Alexandre defendeu a Ferroviária em 2010, no Campeonato Paulista da Série A3, oportunidade em que a Locomotiva sagrou-se vice-campeã e subiu para a Série A2.
O vigoroso zagueiro participou dessa conquista e manifesta, nesta entrevista, uma honra muito grande por ter defendido a agremiação araraquarense.
“Ferroviária em Campo” bateu um papo com o atleta, hoje jogando no futebol mato-grossense do Sul, na cidade de Naviraí, defendendo as cores vermelha e verde do Naviraiense.




BATE-PAPO COM ALEXANDRE, O XANDÃO

Ferroviária em Campo: O que você teria para falar sobre sua passagem pela Ferroviária de Araraquara?
Alexandre: Foi uma honra fazer parte da história da Ferroviária. Sou natural de Ribeirão Preto-SP e foi gratificante jogar nesse clube. Um dos momentos mais marcantes de minha carreira foi poder representar a Ferroviária. Uma grande equipe, onde tive muitas alegrias e sou torcedor até hoje da Ferrinha.

Ferroviária em Campo: Qual foi mesmo o seu período na AFE?
Alexandre: Foi na Série A3 de 2010.

Ferroviária em Campo: Antes da AFE, onde você jogou?
Alexandre: No Juventus, o Moleque Travesso, no período de 2008 a 2009. 

Ferroviária em Campo: No ogol.com.br eles citam como tendo sua carreira iniciado em 2011. Então, fala do seu começo, antes disso. Você jogou na base de qual clube?
Alexandre: É que até 2010 eu jogava com o nome de Alexandre. Passei a ser chamado de Xandão a partir de 2011. Então, acho que foi por isso que ogol começou a contar a minha carreira a partir de 2011. Fui revelado pelo Desportivo Brasil, da Traffic. Em seguida, meu primeiro clube profissional foi o C.A. Juventus, o Moleque Travesso da Mooca. E depois de dois anos lá, cheguei na Ferroviária.

Ferroviária em Campo: E este ano, como tem sido?
Alexandre: Em 2017, passei pelo Olímpia e estou no Naviraiense. 

Ferroviária em Campo: Como você viu sua passagem pela Ferroviária? Alguma curiosidade, algum fato interessante... o que marcou mais?
Alexandre: De curioso foi que no começo da competição (Paulista da A3) não estava muito empolgante. Depois, com a chegada do treinador Felício Cunha deu uma engrenada. E saudades do nosso motorista Fredão Alonso, hehehe.

Ferroviária em Campo: Realmente, a vinda do Felício Cunha foi fundamental. E o Fredão é muito querido.
Alexandre: Muito querido, grande figura. 

Ferroviária em Campo: Alguma coisa mais que você queira dizer...
Alexandre: Como já disse, foi uma honra poder fazer parte de um pouco da história da Ferroviária, time do meu coração até hoje.

Ferroviária em Campo: Você ainda tem muito futebol pra mostrar, com 28 anos de idade. Boa sorte e que sua carreira prospere sempre.
Alexandre: Amém. Obrigado, grande abraço.


GALERIA DE FOTOS













Fotos cedidas pelo entrevistado

Entrevista e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

Nenhum comentário:

Postar um comentário