terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

TATAU PASSOU PELA FERROVIÁRIA... BRILHOU EM OUTROS CLUBES




Nome: Antônio Carlos Delfino
Nascimento: 12 de fevereiro de 1956
Cidade natal: Itajubá – MG 
Posição: Atacante 

Clubes: Smart F.C. (Itajubá-MG); Taubaté e Alfenense (1976); Ferroviária (1977, 1978 e 1981); Atlético Goianiense (1982); Goiás (1983); Nacional Clube (1985); Marcílio Dias (1986); Inter de Lages – RS, onde encerrou sua carreira em 1990

O atacante Tatau teve poucas oportunidades na AFE e não as aproveitou. Em raras ocasiões entrou em campo. Quando começou jogando, foi substituído; ou então entrou durante alguns jogos. 

No Atlético Goianiense, em 1982, depois de ter passado pela Ferroviária, Tatau mostrou suas virtudes como goleador. A certa altura já havia consignado 16 gols pelo tricolor de Goiânia. 

No ano seguinte, foi para o Goiás.

Defendeu diversos clubes, mas foi no Alfenense, clube do interior mineiro – Alfenas – que Tatau realizou sua maior proeza no futebol.

Num tempo em que o Atlético Mineiro se apresentava como quase imbatível, com um esquadrão poderoso, Tatau anotou um gol e levou o seu Alfenense à vitória. Um feito inteiramente inesperado, fora da lógica. Ficou famoso pelo gol contra o Galo.

Tatau jogou até os 34 anos, encerrando sua carreira no Inter de Lages-RS, em 1990.

Foi mais um atleta mineiro a integrar um elenco da Ferroviária de Araraquara. 

Alfenense de 1980 foi o único time a derrotar o tricampeão Atlético.
Tatau é o segundo agachado da esquerda pra direita

Um jogo da Ferroviária com TATAU no time:
Ferroviária  0 x 0  Paulista (Jundiaí)
20 de setembro de 1978, quarta-feira
Fonte Luminosa, em Araraquara (SP)
Campeonato Paulista/1º turno 
Árbitro: Almir Ricci Peixoto Laguna 
Renda: Cr$ 60.880,00
Público: 2.228 pagantes 
Ferroviária – Aranha; Nei Dias, Mauro, Samuel e Cuca; Paulo César e Paraná; João Carlos, Washington, Tatau (Mazinho) e Bispo (Galdino). 
Paulista – Edson; Lazinho, Marcos, Djalma Santos (Domingos) e Santos; Bosco e Vicente; Dimas (Frasão), Vagner, Gil e Edmar 



Fontes:
Que fim levou? – Milton Neves
Blog do Alexandre Silva 
Acervo de “Ferroviária em Campo”
Fotos: Que Fim levou?; Placar.
Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

FERROVIÁRIA TEM 25 JOGADORES INSCRITOS NA FPF E PODE INSCREVER MAIS 3. QUEM COMPLETARÁ ESSA LISTA?



A Ferroviária inscreveu, até aqui, 25 atletas para as disputas do Paulistão.

Terá, assim como os demais clubes, até o dia 3 de março para completar os 28.

Não foram inscritos pela Ferroviária e fazem parte do elenco atual:

Ian, Rafael Castro, Renato Xavier e Zé Mário.

Conheça a relação detalhada dos 25 atletas inscritos pela Locomotiva.

                                  * Atualização FPF 14/02/17
                                  ** Clique no quadro para ampliar



Elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

O DIA EM QUE GYLMAR DOS SANTOS NEVES SOFREU FRATURA EM ARARAQUARA


(O lance resultou em gol de Geraldo Scalera para a Ferroviária)



Dia 25 de novembro de 1962, na Fonte Luminosa: festa em Araraquara com a presença do Santos Futebol Clube, em partida constante do Campeonato Paulista.

Gylmar
A foto mostra um momento de preocupação com o goleiro santista Gylmar dos Santos Neves. O guardião é atendido e o número 11 grená, Aílton, pega a bola do jogo. Foi numa dividida que o lateral afeano Geraldo Scalera acabou chutando a mão do extraordinário goleiro. 
Geraldo Scalera

O lance resultou em fratura no polegar da mão direita de Gylmar, que deixou o campo sendo substituído por Laércio. Resultou, também, no gol de empate da Ferroviária, validado pelo árbitro Aírton Vieira de Morais, cujo apelido era Sansão. 

Fonte Luminosa lotada, como acontecia sempre que os times grandes se exibiam no local. 

Não havia placas publicitárias ao redor do gramado. Propaganda... só no topo das arquibancadas. Outros tempos...

Ficha técnica do jogo:
Ferroviária  1 x 1  Santos 
25.11.1962, domingo à tarde
Fonte Luminosa, em Araraquara (SP)
Campeonato Paulista/2º turno 
Árbitro: Aírton Vieira de Morais
Renda: Cr$ 2.489.300,00
Público: cerca de 15.000 pessoas (segundo o Almanaque do Santos, de Guilherme Nascimento)
Expulsão: Coutinho (Santos), 10’/2º tempo por prática de jogo violento
Gol do Santos: Zito, 42’/1º tempo
Gol da AFE: Geraldo Scalera, 29’/2º tempo 
Ferroviária – Toninho; Geraldo Scalera, Antoninho e Zé Maria; Dudu e Rodrigues; Peixinho, Davi, Tião, Bazani e Aílton. Técnico: Francisco Sarno 
Santos – Gylmar (Laércio); Ismael, Mauro e Zé Carlos; Zito e Calvet; Dorval, Lima, Coutinho, Pelé e Pepe. Técnico: Lula 

Ocorrências: O zagueiro Ismael saiu de campo aos 3’/2º tempo, com distensão muscular, não mais voltando. Gylmar, com fratura no polegar direito, foi substituído por Laércio aos 29’/2º tempo.

Fontes:
Acervo de “Ferroviária em Campo”
Almanaque do Santos, de Guilherme Nascimento
Fotos: Facebook 

Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

domingo, 26 de fevereiro de 2017

JACKSON, AUTOR DO GOL DO TÍTULO DE 2006: FERROVIÁRIA, CAMPEÃ DA COPA FPF




Nome: Jackson Carlos Candido dos Santos 
Nascimento: 6 de março de 1984
Cidade natal: Florianópolis (SC)
 Posição: Atacante 



Ele jogou na Ferroviária apenas uma temporada, em 2006, mas deixou gravado o seu nome no rol dos vencedores. Graças a um gol seu, marcado já nos minutos finais do jogo em Bragança Paulista – último da decisão da Copa FPF – a Ferroviária empatou com o Bragantino, 1 a 1, e conquistou o título de campeã da competição, assegurando sua presença na Copa do Brasil de 2007.

O atacante não começou jogando; entrou durante a partida. E aos 42 minutos do segundo tempo fez o gol da conquista. 

Jackson sofreu uma falta no meio de campo. Cobrada a infração, o mesmo Jackson desviou a bola para fazer o tento de empate.




Ele recordou como se deu naquele ano:

“Nosso grupo era fechado no último. Foi um ano muito bom para mim. No primeiro semestre fui campeão pelo Botafogo e marquei 16 gols. Depois fui para a Ferroviária. Fizemos um bom campeonato com um excelente treinador, que era o Édison Só, e tive a felicidade de ser campeão de novo.” (Futebol Interior) 

Jackson atuou ao lado de outros bons jogadores, como Renato Cajá, Leandro Donizete, Francisco Alex, Caiuby, Thiago Costa, Mauro Viana, Max Carrasco...

O atacante Jackson defendeu vários clubes:
Tubarão, Atlético Cidade Azul, Botafogo, Comercial, Batatais, Lemense, Jataiense, Vila Aurora, XV de Jaú, Grêmio Metropolitano, Marília, entre outros.


Atualmente, mora em Bocaina (SP). Não está atuando por nenhum clube e encontra tempo para prestigiar a Ferroviária, vendo jogos na Arena Fonte Luminosa.




O JOGO DO TÍTULO

“Ferroviária em Campo” mostra a ficha técnica do jogo decisivo entre Bragantino e Ferroviária, que garantiu o título da Copa FPF à Ferroviária.

Jogo – Bragantino 1 x 1 Ferroviária 
Data – 25 de novembro de 2006, sábado, 19 horas
Local – Estádio Marcelo Stéfani, em Bragança Paulista (SP)
Finalidade – Decisão da Copa FPF de 2006
Árbitro – Élcio Paschoal Borborema
Público: aproximadamente 10 mil pessoas 
Gol do Bragantino – Bill, 37 minutos do primeiro tempo 
Gol da Ferroviária – Jackson, 42 minutos do segundo tempo 
Bragantino (vice-campeão) – Dida; Júlio César, Cris e Zelão; Somália, Paulinho (André Gaspar), Ferrinho, Rubens (Fernando) e Leandro (Gileno); Luís Henrique e Bill. Técnico: Marcelo Veiga
Ferroviária – Tuti; Max Carrasco, Carlão, Wagner e Mauro; Fernando (Jackson), Leandro, Renato (Diego Isaías) e Leônico; Alex e Caiuby. Técnico: Édison Só 


Observação: O primeiro jogo, disputado na Fonte Luminosa, foi vencido pela Ferroviária, por 1 a 0, gol de Alex. O empate na segunda partida garantiu o título da Copa FPF e a participação do time na Copa do Brasil de 2007.


Fonte:
Acervo de “Ferroviária em Campo”
Fotos cedidas gentilmente pelo Jackson

Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

FERROVIÁRIA NA FONTE – ANO XII (1962)



Um ano altamente positivo da Ferroviária. Na Fonte Luminosa, então, foi um sucesso fora do comum. Jogando 22 vezes em casa, a Locomotiva conseguiu 15 vitórias e 5 empates, perdendo apenas duas vezes. Marcou 56 gols e sofreu só 18, tendo saldo de 38.

Foram quatro vitórias contra os grandes: duas contra o Palmeiras, uma contra o São Paulo e uma contra o Corinthians.

Empatou com dois grandes: Corinthians e Santos.

E perdeu somente para Portuguesa de Desportos e Corinthians.

O time grená de Araraquara permaneceu invicto na Fonte Luminosa, no aludido ano, até o 13º jogo. 

Na Taça São Paulo, promovida pela Federação Paulista de Futebol, a AFE fez quatro jogos na Fonte e ganhou todos. Marcou 13 gols e sofreu apenas 2. 





OS JOGOS DA FERROVIÁRIA NA FONTE LUMINOSA, EM 1962

(Nº de ordem – Jogo – Data – Finalidade – Autores  dos gols da Ferroviária)

1 – Ferroviária 3 x 1 Prudentina – 15.03.1962 – Amistoso – Parada (2) e Laerte 
2 – Ferroviária 2 x 2 Corinthians – 01.04.1962 – Amistoso – Parada e Bazani
3 – Ferroviária 7 x 0 Botafogo – 12.04.1962 – Amistoso – Peixinho (2), Dudu, Parada (pênalti), Bazani, Egídio (contra) e Laerte (falta)
4 – Ferroviária 2 x 0 Votuporanguense – 25.04.1962 – Taça São Paulo – Dudu e Laerte
5 – Ferroviária 3 x 0 Guarani – 13.05.1962 – Taça São Paulo – Benny (2) e Bazani 
6 – Ferroviária 6 x 2 Palmeiras – 20.05.1962 – Taça São Paulo – Bazani (3), Ismael, Aurélio e Laerte 
7 – Ferroviária 2 x 0 Corinthians – 07.06.1962 – Taça São Paulo – Peixinho (2) 
8 – Ferroviária 3 x 0 Jabaquara – 22.07.1962 – Campeonato Paulista – Peixinho (2) e Bazani 
9 – Ferroviária 3 x 1 Palmeiras – 05.08.1962 – Campeonato Paulista – Peixinho (de ‘bicicleta’), Bazani e Aldemar (contra) 
10 – Ferroviária 2 x 1 Botafogo – 26.08.1962 – Campeonato Paulista – Parada e Bazani 
11 – Ferroviária 2 x 2 Juventus – 29.08.1962 – Campeonato Paulista – Bazani (2) 
12 – Ferroviária 1 x 0 Comercial (RP) – 02.09.1962 – Campeonato Paulista – Esmeraldo (contra) 
13 – Ferroviária 2 x 1 Guarani – 12.09.1962 – Campeonato Paulista – Parada e Peixinho 
14 – Ferroviária 0 x 1 Portuguesa Santista – 30.09.1962 – Campeonato Paulista 
15 – Ferroviária 3 x 0 XV de Piracicaba – 10.10.1962 – Campeonato Paulista – Dudu, Benny e Bazani 
16 – Ferroviária 6 x 1 Taubaté – 31.10.1962 – Campeonato Paulista – Benny (2), Wilson (2), Tales e Vaguinho (contra) 
17 – Ferroviária 2 x 0 São Paulo – 04.11.1962 – Campeonato Paulista – Davi e Peixinho 
18 – Ferroviária 1 x 3 Corinthians – 08.11.1962 – Campeonato Paulista – Tales 
19 – Ferroviária 1 x 1 Santos – 25.11.1962 – Campeonato Paulista – Geraldo Scalera 
20 – Ferroviária 1 x 1 Noroeste – 28.11.1962 – Campeonato Paulista – Peixinho 
21 – Ferroviária 4 x 1 Prudentina – 06.12.1962 – Campeonato Paulista – Bazani (2), Wilson e Peixinho 
22 – Ferroviária 0 x 0 Esportiva de Guará – 12.12.1962 – Campeonato Paulista 

20/05/1962 - Taça São Paulo - AFE 6 x 2 Palmeiras
 Aurélio marca o quarto gol da AFE na Fonte Luminosa

ARTILHEIROS DA FERROVIÁRIA NA FONTE LUMINOSA, ANO DE 1962

Bazani
1º - Bazani, 14 gols
2º - Peixinho, 11
3º - Parada, 6 
4º - Benny, 5
5º - Laerte, 4 
6º - Dudu e Wilson, 3
8º - Tales, 2 
9º - Davi, Ismael, Aurélio e Geraldo Scalera, 1 

E mais 4 gols contra: Egídio (Botafogo-RP), Aldemar (Palmeiras), Esmeraldo (Comercial) e Vaguinho (Taubaté).


 25/11/1962; AFE 1 x 1 Santos
Pelé x Antoninho - Estádio da Fonte Luminosa

JOGARAM NA FERROVIÁRIA EM 1962

Toninho, Aparecido, Ismael, Galhardo, Mário, Zé Maria, Percy, Geraldo Scalera, Antoninho, Fogosa, Jurandir, Rodrigues, Dudu, Adão, Brandão, Peixinho, Davi, Mateus, Laerte, Melão, Parada, Aurélio, Bazani, Benny, Souza, Aílton, Tião Nego, Tales, Wilson


RESUMO DA FERROVIÁRIA NA FONTE LUMINOSA EM 1962




Fonte:
Acervo de “Ferroviária em Campo”
Fotos: Museu da Ferroviária
Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

JOGARAM NA FERROVIÁRIA E NO PALMEIRAS E ESTÃO ANIVERSARIANDO


GERALDO SCALERA E SÉRGIO BERGANTIN



Foram dois profissionais exemplares que honraram duas camisas de muito peso e tradição.

Geraldo Scalera, lateral-esquerdo, defendeu a Ferroviária de 1962 a 1965 e depois se transferiu para o Palmeiras, onde jogou de 1965 a 1968.

Sérgio Luiz Bergantin, goleiro, guarneceu a meta afeana de 1970 a 1980, além de um jogo de despedida em 1981.  Teve uma rápida passagem  pelo Palmeiras, em 1974, quando Leão serviu a Seleção Brasileira.

Geraldo Scalera aniversariou ontem, dia 25 de fevereiro, completando 75 anos de idade.

Sérgio Bergantin chega aos 68 anos neste domingo, 26 de fevereiro.

Profissionais modelares, Scalera e Sérgio estão sendo cumprimentados por enorme legião de fãs, torcedores afeanos e palmeirenses e esportistas em geral.

Geraldo Scalera é de 25 de fevereiro de 1942 e nasceu em São Paulo (SP).

Sérgio Luiz Bergantin é de 26 de fevereiro de 1949 e nasceu em Santa Cruz das Palmeiras (SP).

PARABÉNS, SCALERA E BERGANTIN!

Galeria de fotos: Geraldo Scalera

Geraldo Scalera marcando Pelé

Em pé: Egídio, Rossi, Geraldo Scalera, Fogueira, Capitão e Dorival. Agachados: Walter Zum-Zum, Tales, Nilo, Felício e Bececê

Ferroviária campeã do interior - em pé: Antoninho, Galhardo, Dudu, Geraldo Scalera, Aparecido e Rodrigues. Agachados: Peixinho, Davi , Tales, Bazani e Beni

AFE 1960 - Em pé:  Zé Maria, Aparecido, Brandão, Geraldo Scalera, Galhardo e Rodrigues. Agachados:  Peixinho, Davi, Parada, Bazani e Mateus.



Galeria de fotos: Sérgio Bergantin

Sérgio Bergantin

Sérgio Bergantin com Leão

Antonio Santos e Sérgio Bergantin

Sérgio Bergantin no Palmeiras

Sérgio Bergantin atuando pelo Palmeiras

Fotos: Facebook; Que fim Levou?

Elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

sábado, 25 de fevereiro de 2017

NO SÉTIMO JOGO SEGUIDO FAZENDO UM GOL, FERROVIÁRIA LEVA QUATRO E É GOLEADA NO PARQUE





Inteiramente retrancado no primeiro período, o time de Araraquara permitiu uma elevada posse de bola do Palmeiras, que chegou a 70%, jogando sob pressão.

No segundo tempo, mais precisamente nos primeiros 20 minutos, a Ferroviária mostrou algum futebol, saindo para o jogo. Mas tomou um segundo gol aos 21, pouco antes da entrada em campo do festejado Borja.

Alan Mineiro
Alan Mineiro, aos 32', cobrou mal um pênalti, conseguido por ele mesmo ao chutar para o gol e provocar a intervenção ilegal de Michel Bastos, que desviou a trajetória da bola com o braço. Fernando Prass defendeu, mas o auxiliar acusou saída antecipada do guardião.

Alan Mineiro voltou a cobrar, desta feita bem, diminuindo o placar.

Disposta a atacar, por consequência a Locomotiva avançou e ficou desguarnecida na retaguarda. O Palmeiras aproveitou-se bem dos contra-ataques e fez mais dois gols, o terceiro de autoria do estreante colombiano Borja.


Patrick
Um jogador da Ferroviária se apresentou como o melhor do time, jogando muito e evitando uma goleada maior ainda: Patrick. Não só salvou um gol já praticamente feito, sobre a linha de gol, como também mostrou confiança nas intervenções, conjurando diversas situações de perigo. Merece um destaque todo especial.


A Ferroviária mostrou suas limitações. Vai ter de lutar muito pra não cair. Chega à metade da Primeira Fase entre os piores colocados, e sua torcida passa a ficar mais apreensiva ainda. Mas a luta prossegue. O time mostrou uma virtude que tem de ser explorada e acompanhada de outras: a disposição para o jogo. Não faltou empenho. Quem sabe a recuperação venha contra o São Bento...


FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 4 x 1 FERROVIÁRIA
Competição: Campeonato Paulista
Data: 25/02/2017
Local: Allianz Parque (SP)
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli e Fabio Rogerio Baesteiro
26.201 presentes / Renda: R$ 1.574.103,13
Cartões amarelos: Fernando Prass, Keno e Thiago Santos, pelo Palmeiras; Flávio e Fabio Souza, pela Ferroviária
Cartões vermelhos:
Gols: Keno (13'/1ºT), Michel Bastos (20'/2ºT), Borja (37'/2ºT) e Róger Guedes (40'/2ºT), para o Palmeiras; Alan Mineiro (31'/2ºT), para a Ferroviária.
PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Egídio; Thiago Santos (Raphael Veiga); Keno (Róger Guedes), Michel Bastos, Zé Roberto e Dudu; Willian (Borja) 
Técnico: Eduardo Baptista
FERROVIÁRIA: Matheus; William Cordeiro, Patrick, Leandro Amaro e Léo Veloso; Flávio (Juninho), Claudinei e Fabio Souza (Bruno Lopes); Alan Mineiro; Capixaba e Elder Santana 
Técnico: PC Oliveira


Fotos: Globoesporte; Lance.

Elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

AS CINCO VITÓRIAS DA FERROVIÁRIA NO PARQUE ANTÁRTICA





A última grande vitória afeana na casa do Palmeiras foi há quase um ano, mais precisamente no dia 28 de fevereiro de 2016. Bem perto de completar um ano, neste sábado (25 de fevereiro de 2017), alviverdes e grenás voltam a se enfrentar no Allianz Parque

A Ferroviária surpreendeu o Palmeiras em seu reduto em cinco oportunidades. 

Quatro delas aconteceram no estádio Palestra Itália; a quinta e última foi bem recente: em 2016, numa exibição de gala que encantou a todos. O local foi o mesmo, só que inteiramente remodelado, dando lugar ao majestoso Allianz Parque.

Na primeira delas, em 1960, goleou o alviverde por 4 a 1. Em 1971, a vitória foi por 3 a 2. A terceira se deu em 1980 e foi 2 a 0. A quarta surgiu no ano seguinte (1981) e foi pela contagem mínima. E finalmente, em 2016, uma verdadeira lição de futebol mostrada pela TV, na qual a Ferroviária estabeleceu 2 a 1 no marcador, no belo Allianz Parque. 





Primeira
   
Jogo – Palmeiras 1 x 4 Ferroviária 
   
Data – 10 de dezembro de 1960, sábado (tarde)
Local – Estádio Palestra Itália, no Parque Antártica, em São Paulo (SP)
Finalidade – Campeonato Paulista/2º turno 
Árbitro – Catão Montez Júnior 
Renda – Cr$ 373.050,00
Gol do Palmeiras – Chinesinho, 16’/2º
Gols da Ferroviária – Bazani, 42’/1º; Pimentel, 30” e 22’ e Bazani, 35’ do 2º tempo 
Palmeiras – Valdir; Djalma Santos e Valdemar Carabina; Perinho, Clóvis e Jorge; Julinho, Humberto, Romeiro, Chinesinho e Cruz. Técnico: Oswaldo Brandão 
Ferroviária – Fia; Porunga e Antoninho; Pimentel, Rodrigues e Walter; Faustino, Palico (Dirceu), Baiano, Dudu e Bazani. Técnico: José Guillermo Agnelli 


Segunda 
  
Jogo – Palmeiras 2 x 3 Ferroviária 
   
Data – 21 de abril de 1971, quarta-feira (noite)
Local -  Estádio Palestra Itália, no Parque Antártica, em São Paulo (SP) 
Finalidade – Campeonato Paulista/1º turno 
Árbitro – Dulcídio Wanderley Boschillia 
Renda – Cr$ 89.323,00
Público – 13.791 pagantes e 3.584 menores 
Gols do Palmeiras – Hector Silva, 21’/1º e César, 4’/2º 
Gols da Ferroviária – Lance, 23’ e Zé Luís, 35’ do 1º tempo; e Nicanor, 38’/2º
Palmeiras – Leão; Eurico, Baldochi, Luís Pereira e Dé; Zé Carlos e Ademir da Guia; Fedato (Edu), Hector Silva, César e Leivinha. Técnico: Rubens Minelli 
Ferroviária – Sérgio (Carlos Alberto); Baiano, Fernando, Ticão e Zé Carlos; Muri e Ademir; Tonho (Nicanor), Zé Luiz, Lance e Nei. Técnico: Aparecido Dias de Almeida 


Terceira 
    
Jogo – Palmeiras 0 x 2 Ferroviária 
    
Data – 21 de agosto de 1980, quinta-feira (noite) 
Local – Estádio Palestra Itália, no Parque Antártica, em São Paulo (SP) 
Finalidade – Campeonato Paulista/2º turno 
Árbitro – Almir Ricci Peixoto Laguna 
Expulsão – Pires (Palmeiras), 45’/2º 
Renda – Cr$ 611.900,00 
Público – 6.859 pagantes 
Gols – Paulo Borges, 20’/1º e Zé Roberto, 23’/2º 
Palmeiras – Ivan; Rosemiro, Beto Fuscão, Edson e Pedrinho; Pires, Mococa (Célio) e Freitas; Lúcio, César e Romeu (Nei). Técnico: Valdir Joaquim de Morais 
Ferroviária – Tião; Marinho Paranaense, Sérgio Miranda, Samuel e Luís Florêncio (Carlos); Nandes, Zé Roberto e Washington; Paulo Borges, Volnei (Toninho) e Bispo. Técnico: Diede Lameiro


Quarta 
    
Jogo – Palmeiras 0 x 1 Ferroviária

Data – 12 de agosto de 1981, quarta-feira (noite) 
Local – Estádio Palestra Itália, no Parque Antártica, em São Paulo (SP) 
Finalidade – Campeonato Paulista/2º turno 
Árbitro – João Leopoldo Ayetta 
Renda – Cr$ 1.477.300,00 
Público – 6.637 pagantes e 31 menores 
Gol – Zé Roberto, 33’/2º 
Palmeiras – Gilmar; Benazzi, Luís Pereira, Deda e Pedrinho; Jaime Boni, Freitas e Aragonés; Osni (Esquerdinha), Paulinho e Célio (Carlos Alberto). Técnico: Jorge Vieira 
Ferroviária – Luís Fernando; Gérson, Vica, Samuel e Luís Florêncio (Divino); Zé Carlos, Zé Roberto e Washington (Toninho); Douglas Onça, Fantato e Bispo. Técnico: Olegário Toloi de Oliveira (Dudu) 


Quinta 
   
Jogo – Palmeiras 1 x 2 Ferroviária 
   
Data – 28 de fevereiro de 2016, domingo, 17 horas 
Local – Arena Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Finalidade – Campeonato Paulista/Série A1/Primeira Fase 
Árbitro – Thiago Duarte Peixoto 
Renda – R$ 985.923,80 
Público – 18.413 pagantes 
Gol do Palmeiras – Cristaldo, 17’/2º 
Gols da Ferroviária – Fernando Gabriel (falta), 40’/1º; Rafinha, 48’/2º 
Palmeiras – Fernando Prass; Lucas, Roger Carvalho, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos, Jean (Rafael Marques) e Robinho; Dudu e Gabriel Jesus (Erik); Alecsandro (Cristaldo). Técnico: Marcelo Oliveira 
Ferroviária – Rodolfo; Juninho, Wanderson, Marcão e Thallyson; Renato Xavier, Fernando Gabriel (Matheus Rossetto) e Rafael Miranda; Samuel (Rafinha), Wescley (Danielzinho) e Tiago Adan. Técnico: Sérgio Vieira 



Fonte:
Acervo de “Ferroviária em Campo”
Fotos: Sérgio Miranda; Gazeta Esportiva e Site do Palmeiras.

Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali