domingo, 27 de novembro de 2016

FALTOU APENAS O FINAL FELIZ PARA A FERROVIÁRIA




Sete minutos de jogo e a Ferroviária acabava com a vantagem do XV, cravada em Piracicaba. Ao fazer 3 a 0, o time de Picoli se viu no Brasileiro da Série D. Ao sofrer um único tento, ficou entre Brasileiro e Copa do Brasil. E após as terríveis cobranças de pênaltis, inseriu-se definitivamente na Copa do Brasil de 2017, um prêmio mais que merecido pela excelente campanha que realizou.


Um espetáculo emocionante dentro e fora do gramado... digno de uma final de competição. A torcida grená deu autêntico show, seguindo o ritmo do seu time dentro de campo.

O XV foi um adversário brioso, que não se deixou abater com os 3 a 0 e lutou muito para fazer um gol salvador... e conseguiu, embora fossem da Ferroviária as melhores chances para dilatar o placar.


Duas agremiações de enorme e bonita tradição no futebol interiorano justificaram plenamente a presença na decisão de uma Copa Paulista interessante.


A Ferroviária encerra a temporada engrandecida pela performance apresentada ao longo do ano. Um começo de Paulistão sensacional, só esmaecido pelo complô de jogadores contra um técnico soberbo; mas mesmo assim, uma campanha suficiente para se manter na divisão principal. E no segundo semestre, uma participação destacada na Copa Paulista, assegurando presença em uma competição de âmbito nacional, em 2017.


Comissão técnica e elenco afeanos estão de parabéns. Honraram as melhores tradições do clube e abriram boas perspectivas para o ano que se aproxima.

Em 24 jogos realizados, a Locomotiva ganhou 15, empatou 7 e perdeu somente 2. Marcou 49 gols (média de 2 por jogo) e sofreu apenas 14, livrando um saldo expressivo de 35.

Após a atuação apagada de Piracicaba, o time de Araraquara redimiu-se inteiramente e terminou a Copa com uma exibição brilhante. Faltou o final feliz... mas sobrou vibração.



A Ferroviária é vice-campeã da Copa Paulista de 2016 e garante participação na Copa do Brasil, o que se dará pela terceira vez. E deixa sua galera esperançosa quanto a um 2017 fértil de novas emoções. O elenco todo sustentou um nível apreciável de atuações. Embora se possa destacar alguns atletas, especialmente o goleiro Matheus, o ala Willian Cordeiro, o atacante Elder Santana... certo é que ninguém decepcionou. Apenas a tristeza de ver o declínio de produção do artilheiro do time, Wellington, que depois de um ato de indisciplina e a consequente punição não reeditou o seu bom futebol.



Dentro do espírito de desportividade que deve nortear nossas atitudes, parabenizamos o XV de Novembro de Piracicaba pelo título de campeão da Copa Paulista. O alvinegro piracicabano é um vencedor legítimo, principalmente porque mostrou muita força nas partidas finais e decisivas.




E para quem acha que a torcida da Ferroviária é pequena e fria, o alerta para uma reflexão melhor. Certos conceitos precisam ser reformulados... e uma análise mais acurada tem de ser desenvolvida.





Ficha Técnica

FERROVIÁRIA 3 X 1 XV DE PIRACICABA

Nos pênaltis, 4 a 2 para o XV de Piraciaba

Data: 26 de novembro de 2016
Local: Arena Fonte Luminosa - Araraquara-SP
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo

Cartões Amarelos
Ferroviária: Fábio Souza
XV de Piracicaba: Maranhão e Clayton

Gols
Ferroviária: Kelvy, aos 2' do primeiro tempo. Bruno Lopes, aos 7', e Zé Mateus (contra), aos 22' do segundo tempo.
XV de Piracicaba: Rodrigo, aos 28' do segundo tempo.

Penalidades
Ferroviária: Willian Cordeiro (gol), Kelvy (defesa), Bruno Lopes (gol), João Lucas (defesa)
XV de Piracicaba: Rafael Gomes (gol), Romarinho (gol), Samoel Pizzi (gol), Rodrigo (gol)

Ferroviária: Matheus; Willian Cordeiro, Patrick, Raniele e Sávio; Rafael Castro, Fábio Souza e Kelvy; Elder Santana (João Lucas), Fabrício (Felipe Silva) e Bruno Lopes - Técnico: Picoli


XV de Piracicaba: Mateus Pasinato; Zé Mateus, Cunha, Rodrigo e Samuel (Pavone); Clayton, Maranhão (Bruninho) e Barreto (Gilsinho); Samoel Pizzi, Romarinho e Rafael Gomes - Técnico: Cléber Gaúcho



Elaboração de texto, fotos e edição de Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

Nenhum comentário:

Postar um comentário