quinta-feira, 20 de outubro de 2016

TOCO: “DEVO MUITO A QUATRO PESSOAS: TOTA, MARCÃO, WILSON CARRASCO E BAZANI”


(Ele jogou pela Ferroviária e pelo Nacional)




TOCO jogou pela Ferroviária, onde foi formado na base do clube, e pelo Nacional Atlético Clube, entre outras agremiações.

José dos Anjos, nascido em 20 de abril de 1979, na cidade de Bonito, estado de Pernambuco, chegou a São Paulo com apenas seis meses de idade.

Na Ferroviária, chegou com 11 anos, em 1990.

“Comecei com o saudoso Tota, de volante. Tota: uma pessoa muito importante na minha vida.”

“Depois, com outras duas pessoas pelas quais tenho um carinho muito grande, Marcão e Carrasco, virei atacante. Nos juniores e aspirantes de 1996, eu formava no ataque: Tatau, Toco e Fumagalli. E depois tive o prazer de jogar em 1997 com o Carrasco.”

“Vou citar quatro pessoas que foram muito importantes na minha carreira: Tota, Marcão, Carrasco e Bazani. Pessoas que jamais esquecerei.”

Versátil, Toco jogou nas duas laterais e também como volante, além de atacante.

Esteve na base afeana de 1990 a 1996, quando o time principal da AFE foi rebaixado. A oportunidade no time de cima surgiu em 1997, quando a equipe de Araraquara começou sua peregrinação pelas divisões inferiores do certame bandeirante, começando pela Série A2. Naquele ano, Toco jogou várias vezes como lateral esquerdo.

No segundo semestre dos anos de 1998, 1999 e 2000, jogou no Flamengo de Guarulhos. Em 2001 foi para o Nacional Atlético Clube. Em 2002, para o Paranavaí-PR. No segundo semestre de 2002, foi para o Platinense-PR.

De 2003 a 2008, Toco jogou no Nacional de São Paulo. Em 2009, pelo União Barbarense e Internacional de Limeira.


Conquistas de TOCO:

Campeão Paulista da Série B1-B em 1999, pelo Flamengo de Guarulhos; e Campeão Paulista pelo mesmo Flamengo de  Guarulhos, na Série B1-A, em 2000.

Em 2002, tornou-se vice-campeão paranaense, Segunda Divisão. Acesso à Primeira Divisão pelo Paranavaí.

No segundo semestre de 2002, foi vice-campeão paranaense da Terceira Divisão com acesso à Segunda Divisão, pelo Platinense.


Por que MANO TOCO?

“É que tenho um jeito de chamar os amigos de mano, parceiro, e também porque gosto de umas músicas do grupo Racionais, que tem o vocalista mano Brown. Como os amigos me chamam de Mano Toco, tive a ideia de colocar esse nome no face.”


UMA SÉRIE DE FOTOS DE TOCO

A pedido de FERROVIÁRIA EM CAMPO, TOCO enviou uma série de 14 recortes de jornais com fotos suas e, inclusive, uma do time da Ferroviária no qual ele está presente. Vendo a sequência de fotos e lendo os textos que as acompanham dá bem para se ter uma noção do desenvolvimento de sua carreira. Essas fotos são incluídas nesta matéria.



































































































Fontes:
Entrevista com TOCO;
Acervo de Ferroviária em Campo;
Recortes de jornais com fotos, enviadas por Toco.


Elaboração e edição de Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

Nenhum comentário:

Postar um comentário