quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

SUFOCO DA FERROVIÁRIA NA TAÇA DE PRATA



*Mais um relato de Sergio Miranda

*Fichas técnicas dos jogos entre AFE e CSA, em 1980

*A Taça de Prata correspondia ao atual Campeonato Brasileiro da Série B


Sérgio Miranda
Sergio Miranda foi um zagueiro de boa estatura que defendeu a Ferroviária de 1973 a 1980, com muita competência, aliando garra a eficiência.

Nascido em Monte Alto, Sergio Miranda reside em Taquaritinga, e é de lá que ele manda um relato interessante, muito pouco conhecido, a respeito de dificuldades passadas pela Locomotiva por ocasião da Taça de Prata de 1980, na qual a equipe araraquarense chegou às semifinais e disputou acirradamente a passagem para as finais contra o CSA. O episódio narrado pelo zagueiro é apresentado na sequência:

“Outra história que ficou oculta foi em 1980, quando fizemos a Semifinal da Taça de Prata com o CSA. Jogávamos por dois empates. O primeiro jogo foi em Alagoas, num domingo. O jogo de volta era na quarta-feira, em Araraquara.

Fomos com o ‘expresso tartaruga’ até São Paulo. Pegamos o avião em Viracopos e seguimos viagem. No Rio de Janeiro houve um problema com a delegação do Internacional-RS. Eles subiram no mesmo avião.
Foi uma festa, pois o Mauro Pastor estava no Inter, que tinha Falcão, Batista, Escurinho e outros craques.

Eles desceram em Salvador e nós seguimos viagem.

Jogamos no domingo, perdemos de 1 x 0, não me lembro quem era o treinador. Ele liberou a noite para que pudéssemos dar uma volta e retornar cedo, pois tínhamos que retornar na segunda de manhã.

Às 5:30 pulamos da cama e seguimos para o aeroporto, que ficava fora da cidade (Maceió). Também não me lembro o nome do chefe da delegação. Só que ele, dirigente, confundiu o horário. O voo era sete da noite; ele confundiu com sete da manhã.

Tivemos de voltar para o hotel, alugar três quartos, pois o jogo de volta era na quarta. Chegamos de volta a Araraquara na terça, seis horas da manhã, para jogarmos na quarta à noite.

São histórias que aconteceram com o time mais maravilhoso do Interior paulista. A nossa Ferroviária de Esportes.”


Observação: naquela semifinal de Taça de Prata, a Ferroviária perdeu em Maceió por 1 a 0. No jogo de volta, na Fonte Luminosa, o placar se repetiu, motivando a eliminação dos grenás. A torcida “pegou no pé” do goleiro Tião da Galera, culpando-o por falha no gol do CSA. Tião defendeu a meta afeana de 1978 a 1981. Paulo Borges, da Ferroviária, perdeu um pênalti no início do segundo tempo, mandando a bola na trave.


Uma formação da Ferroviária 1980 - Em pé: Vica, Tião da Galera, Samuel, Carlos, Zé Rubens, Nandes e Zé Roberto.
Agachados: Paulo Borges, Douglas Onça, Volnei, Washighton, Bispo e Galdino.

Fichas técnicas

Semifinais da Taça de Prata de 1980

1º jogo – CSA (AL) 1 x 0 Ferroviária

Data – 04 de maio de 1980
Local – Estádio Rei Pelé (Trapichão), em Maceió (AL)
Finalidade – Taça de Prata – Semifinais
Árbitro – Valquir Pimentel (RJ)
Renda – Cr$ 1.148.700,00
Público – 16.258 (16.226 pagantes)
Expulsão – Samuel (AFE), 43’ do 2º tempo
Gol – Dentinho, 5’/1º tempo
CSA – Zé Luís; Joca, Paulinho, Dick e Luisinho; Ronaldo Alves, Alberto Carioca e Peu (Leguelé); Jorginho, Dentinho e Gilmar
Ferroviária – Tião; Carlos, Sabará, Samuel e Luís Florêncio; Nandes, Zé Roberto (João Carlos) e Douglas Onça; Paulo Borges, Toninho e Galdino (Bispo). Técnico: José Carlos Fescina


2º jogo – Ferroviária 0 x 1 CSA (AL)

Data – 07 de maio de 1980, quarta-feira (noite)
Local – Fonte Luminosa, em Araraquara (SP)
Finalidade – Taça de Prata – Semifinais
Árbitro – Wilson Carlos dos Santos (RJ)
Renda – Cr$ 435.280,00
Público – 5.640 pessoas
Expulsões – Leguelé e Joca (CSA)
Gol – Gilmar, 36’/1º tempo
Ferroviária – Tião; Carlos (João Carlos), Sabará, Sergio Miranda e Zé Rubens; Nandes, Douglas Onça e Zé Roberto (Bispo); Paulo Borges, Toninho e Lavinho – Técnico: José Carlos Fescina
CSA – Zé Luís; Joca, Paulinho, Dick e Luisinho; Ronaldo Alves, Alberto e Peu (Rogério); Siri (Leguelé), Dentinho e Gilmar
Obs.: Paulo Borges (AFE) chutou um pênalti na trave, aos 9’ do 2º tempo.



Fontes:
Sergio Miranda (relato)
Arquivo de Ferroviária em Campo
Fotos: Arquivo pessoal Sérgio Miranda / Acervo Museu da AFE


Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

Nenhum comentário:

Postar um comentário