quarta-feira, 16 de setembro de 2015

AFE É DECACAMPEÃ




(O texto que transcrevemos a seguir é parte integrante da edição nº 1.058 do jornal “DIÁRIO DA ARARAQUARENSE”, de 06 de julho de 1969. A direção do matutino era de Roberto Barbieri e o responsável pela redação, Ierto Lopes, dois nomes muito conhecidos em Araraquara. Formulamos aqui os nossos maiores agradecimentos ao amigo esportista, afeano fanático, PAULO CELSO BIASIOLI, morando atualmente em Limeira-SP, pela cessão do citado jornal, além de muitas outras preciosidades publicadas em jornais e revistas, fazendo menção à Ferroviária)

Elenco da AFE 1969 - Museu da AFE

TRI NÃO. AFE É DECACAMPEÃ

“Depois de sua queda para a 1ª Divisão de Profissionais da Federação Paulista de Futebol (1965), a Associação Ferroviária de Esportes de Araraquara não perdeu nenhum dos títulos que disputou, em número total de dez. Antes da famosa volta, ganhou três destes títulos a saber:

1 – Campeã da ‘Série João Mendonça Falcão’ na 1ª Divisão de Profissionais em 1966.


2 – Campeã do ‘Torneio dos Finalistas’, do qual participaram Francana, Barretos e Santacruzense.


3 – Campeã da 1ª Divisão de Profissionais.

Após a sua memorável trajetória de volta, a Associação Ferroviária de Esportes, patrimônio esportivo do Estado de São Paulo, daria início a uma trajetória sensacional, em busca da conquista disto que hoje é realidade inconteste, pois é de fato legítima DECACAMPEÃ, ou seja, o ‘time das dez coroas’, a melhor equipe de futebol já surgida no interior paulista em todos os tempos.

Téia
O quarto galardão ou quarta coroa, como queiram, foi conquistado logo após sua volta, conseguida no campo, sem favores ou marmeladas, sem secretarias ou conchavos em um torneio realizado na cidade de Ribeirão Preto e que, a título de curiosidade, será revisto por nós.


4 – ‘Torneio Quadrangular Extraordinário de Ribeirão Preto’. Participantes: Ferroviária, Botafogo, Comercial e Náutico Capiberibe.

Em 19/02/1967 a Ferroviária vencia o Botafogo por 2 tentos a 1, com gols de Quarenta aos 23’; Téia aos 15’ e Maritaca aos 43’.

A Ferroviária apresentou-se com Machado, Belluomini, Fernando, Rossi (Paina) e Fogueira; Bebeto (Adão) e Bazani; Passarinho (Maritaca), Dejair, Téia e Pio (Matheus).
Peixinho

No dia 22/02/1967 a Ferroviária, em jogo tumultuado pela má arbitragem, era derrotada pelo Comercial, por 3 a 2 com um dos gols marcados por Paulo Bim, contra nós, em flagrante impedimento. Os gols foram marcados por Téia aos 4’; Carlos César aos 12’; Peixinho aos 30’ do primeiro tempo e Paulo Bim aos 25’ e Dejair aos 43’ do 2º tempo.
Bazani

No dia 26/02/1967, a Ferroviária conquistava, por gol average, o título de campeã, esmagando o Náutico por 7 a 2, sendo os gols marcados na seguinte ordem: Waldir aos 8’; Fogueira aos 13’; Nino aos 3’; Téia aos 14’; Waldir aos 18’; Nino aos 20’; Waldir aos 22’; Bazani aos 31’ e Téia, encerrando o rosário, aos 45’. 
Participaram do festival de gols: Dado (Heitor), Belluomini, Fernando, Rossi e Fogueira; Bebeto e Bazani; Waldir, Maritaca (Raul) (Dejair), Téia e Cacalo (Passarinho).


5 – Quandrangular ‘Baltazar Soares de Castro’, em Goiás, em 02, 07 e 09 de abril de 1967.

Participantes: Ferroviária, Vila Nova, Goiânia e Botafogo-SP. Resultados: Ferroviária 5 x 2 Vila Nova; Ferroviária 1 x 0 Botafogo; Ferroviária 1 x 0 Goiânia.


6 – ‘Quadrangular do Recife’, disputado no Pernambuco a partir do dia 23/04/1967.

Resultados: Ferroviária 2 x 0 Santa Cruz; Náutico 3 x 0 Ferroviária; Ferroviária 4 x 0 Sport Recife.


7 – Pré-Olímpico – Neste torneio a Ferroviária sagrou-se campeã invicta.


8 – Campeã do Interior do Campeonato Paulista da Divisão Especial, em 1967.


9 – Bicampeã em 1968.


10 – Tricampeã em 1969.”




Observação de “Ferroviária em Campo”:

A conquista nº 7 – Pré-Olímpico – referiu-se a uma promoção da Federação Paulista de Futebol. A Ferroviária sagrou-se campeã da série B, ao empatar em Campinas, com o Guarani, no dia 19.11.1967, por 1 a 1.

Time da Ferroviária: Sérgio; Pompeu, Antenor, Pastore e Carneiro; Naves e Ruy Júlio; Robertinho, Muri, Zélio e Amaral. Técnico: Vail Mota.



A FERROVIÁRIA ERA FORTE NA BASE E NO TIME PRINCIPAL (PROFISSIONAIS).  


Fontes: 
Diário da Araraquarense e arquivo pessoal
Fotos: Internet

Transcrição, pesquisa e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

2 comentários:

  1. sensacional,isso eu não sabia.passe essa informaçãoao Zé Roberto da Radio Cultura,pra que ele passe adiante tudo isso.obrigado, vc é um estuioso mesmo, parabens, grande afeano.

    ResponderExcluir
  2. Oi Zé divugue isso, aqui é o silvio pinheiro,o assobrador de vela para o renscer da AFE

    ResponderExcluir