quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

QUASE 500 JOGOS!

(Fez a Ferroviária contra os seus 19 adversários da A2)





A Locomotiva araraquarense realizará 19 jogos decisivos, a partir do dia 31 próximo, tentando retornar à elite do futebol bandeirante. Após 18 anos de tentativas infrutíferas, a agremiação grená da Morada do Sol parte para o 19º ano com renovadas esperanças de, desta vez, alcançar o seu maior objetivo.

Sua torcida, embora com reservas e sempre desconfiada, guarda, no fundo, uma nova expectativa de que a longa espera termine.

No retrospecto, a Ferrinha está bem, quando confrontada com os seus 19 oponentes. Foram, em todos os tempos, quase 500 jogos contra eles, mais precisamente 492. Neles, a Ferroviária saiu-se vencedora em 188 ocasiões, perdeu 165 partidas e empatou 139.

Em matéria de gols, foram 696 assinalados contra 613 sofridos, o que estabelece um saldo de 83.

Mas o mais interessante fica por conta dos confrontos contra cada um dos 19 adversários, pois a agremiação de Araraquara leva a melhor sobre 12 deles, a pior contra apenas 3 e se iguala a outros 2.

Contra 2 times, a Ferroviária jamais atuou: Água Santa, de Diadema, e Grêmio Novorizontino (não confundir com o antigo Grêmio Esportivo Novorizontino, contra quem a Ferrinha jogou muitas vezes).

Contra o Comercial e o Atlético Sorocaba, os afeanos estão em igualdade quando se considera o número de vitórias.

Contra Guarani, Grêmio Catanduvense e Independente de Limeira, a Ferroviária leva a pior.

Mas a vantagem grená se verifica contra 12 clubes, o que, convenhamos, é altamente significativo. São eles: Matonense, Paulista de Jundiaí, Batatais, Mirassol, Rio Branco, Velo Clube Rioclarense, Oeste, União Barbarense, Monte Azul, Santo André, Guaratinguetá e São Caetano.

Contra dois desses oponentes, a Locomotiva jamais conheceu derrota: Matonense e São Caetano.

Dos 19 times que terá pela frente na Série A2, a Ferroviária é superada com larga margem por somente um deles: o Guarani de Campinas, que estabelece uma contagem elevada de vitórias (50) contra as obtidas pelos afeanos (30).

O antagonista mais frequente é o Comercial, contra quem a Ferrinha jogou 114 vezes; depois vem o Guarani, com 101 cotejos.

Embora os números sejam muito bons na história dos confrontos, sabe-se perfeitamente que isso de nada vale quando os novos embates acontecem. Porém, muitas vezes prevalece a força da tradição, e nesse particular a Locomotiva está firme.

Vamos ver se a constituição do elenco atual, somada à atuação do novo treinador, Milton Mendes, se convertem, dentro de campo, naquilo que a sofrida torcida grená tanto almeja: a volta ao grupo de elite, onde a Ferrinha esteve presente durante 40 anos, a maior parte de sua existência.



Fonte de consultas: Arquivo de Ferroviária em Campo

Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

Um comentário:

  1. Espero que a Ferroviária possa ter sucesso e volte a seus bons tempos subindo de divisão e lá ficando. é um clube tradicional do interior Paulista, tem torcida, patrimônio e história. o blog é sensacional, ainda não tive a chance de comprar as publicações mais recentes, mas assim que der, o farei.

    ResponderExcluir