quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O ADEUS A PASCHOAL


A vibração de um esportista diferenciado

Paschoal se foi. Para uns, mudou de plano. Para outros, encerrou o seu ciclo, cumprindo dignamente a sua missão.


Paschoal da Rocha ladeado por Tetê Viviani e Wilson  Luiz.
O certo é que Paschoal Gonçalves da Rocha viveu uma vida plena de atividades, com muita determinação e sonhos que foram tornando-se realidade em decorrência de seu empenho.


Vestia a camisa grená da Ferroviária e desfilava feliz, pelas ruas da cidade, como um autêntico peregrino.


Formou um acervo fotográfico esportivo único, ímpar, preservando a memória do esporte.


Paschoal com autoridades, sobressaindo Collor
Promoveu infindável número de encontros reunindo futebolistas e esportistas do passado e do presente e renomados integrantes da mídia esportiva.


Solidarizou-se com o esporte e o promoveu com a magnitude das grandes almas.


Ele vinha se preocupando com a sustentação do magnífico acervo que solidificou por meio de esforços sem igual; segundo ele, alguns itens já haviam se dispersado.


 Paschoal com Luciano do Valle
Entendia ser exequível e viável a destinação de duas salas desocupadas do Instituto de Psiquiatria Caibar Schutel, na Vila Xavier, para sediarem a sua Sala de Reminiscências Esportivas.


Achava também, dentro de sua notória simplicidade e conhecida sinceridade, que a denominação da sala deveria ser dúplice: Paschoal Gonçalves da Rocha e Vicente Michetti.


A vibração do entusiasta Paschoal
Alguns gestos de grandeza e altruísmo do cidadão Paschoal não foram devidamente difundidos junto à população araraquarense, como por exemplo: o magrinho elétrico, ou Papa Afeano, arrecadou fundos (junto a personalidades do futebol) e intercedeu para que fossem construídos os túmulos dos inesquecíveis Olivério Bazani Filho e Armando Clemente.


Araraquara esportiva, através de seus cônscios munícipes, sabe que perdeu um membro de inequívocas qualidades, e que é dever das autoridades constituídas zelarem para que o legado deixado por Paschoal Gonçalves da Rocha não se dilua e caia no ostracismo, em detrimento da memória e da cultura da palpitante e progressista urbe.


Bela foto de um dos espaços da Sala de Reminiscências Esportivas, uma original criação de Paschoal da Rocha

Texto: Vicente Henrique Baroffaldi

Edição e reprodução de fotos: Paulo Luís Micali

Nenhum comentário:

Postar um comentário