sexta-feira, 26 de abril de 2013

FECHANDO O GOL - 26 de abril, dia do GOLEIRO


 
FECHANDO O GOL
Hoje, 26 de abril, comemora-se o dia do goleiro, quase sempre responsabilizado por derrotas e quase nunca destacado como artífice de vitórias. Vamos falar, agora, dos arqueiros que defenderam a meta afeana ao longo da história do clube de Araraquara.

 
Um rápido levantamento feito nos arquivos de FERROVIÁRIA EM CAMPO resultou em uma listagem que totaliza 72 goleiros, defensores  da meta da Locomotiva de 1951 a 2013, já contabilizando a participação da AFE no certame paulista deste ano, Série A2.
Apresentamos, neste trabalho, os nomes de guerra desses 72 arqueiros, bem como os anos em que defenderam a jaqueta número um grená.
TINO – 1951
SANDRO – 1951 a 1953
JULIÃO – 1951 e 1952
ALDO – 1952 e 1953
FÁBIO – 1953
FERRO – 1953 e 1954
FIA – 1954 a 1961 (foi o segundo em permanência na Ferrinha: oito anos de competência e disciplina, tendo recebido, merecidamente, o Belfort Duarte, privilégio que coube a pouquíssimos atletas; da Ferroviária, somente ele e o ponteiro esquerdo Nei tiveram essa primazia)
Fia
BASÍLIO – 1954 a 1957
EDSON – 1955 e 1956
ROSAN – 1957 a 1960 (tido por muitos como o melhor goleiro da Ferroviária em todos os tempos, realizou um Campeonato Paulista perfeito, em 1959, despertando o interesse de inúmeros clubes e sendo contratado pelo Palmeiras)
Rosan
BACAN – 1960
APARECIDO – 1961 a 1965
TONINHO – 1961 a 1965
DORIVAL – 1964 e 1965
NAVARRO – 1965
MACHADO – 1966 a 1969 (subiu com a Ferrinha em 66 e sagrou-se Tricampeão do Interior, nos três anos subsequentes)
DADO – 1966 e 1967
CARLOS ALBERTO – 1967 a 1971 (teve uma morte trágica, por afogamento, no rio Mogi Guaçu, consternando a população de Araraquara, ele que vinha tendo uma trajetória brilhante no arco grená)
C. Alberto
MAISENA – 1969
GETÚLIO – 1970 e 1971
SÉRGIO BERGANTIN – 1970 a 1977 e 1979 a 1980 (o campeão de permanência na Ferroviária; foram 10 anos de dedicação ao clube; outro magnífico exemplo de profissional)
Sérgio Bergantin
LULA – 1972 a 1975
WALDIR – 1974
JOÃO LUÍS – 1976
VALDIR VALENTE – 1976
ARANHA – 1978 e 1981 a 1982
TIÃO (da Galera) – 1978 a 1981
LUÍS FERNANDO – 1981 a 1984
ABELHA – 1982 e 1983 (revelado no futebol amador de Araraquara, Abelha destacou-se pela competência e também pelo exemplo como profissional. Defendeu a Ferrinha na Taça de Ouro)
Abelha
VALTER DIB – 1983
ÉBER – 1984
PAULO CÉSAR – 1984
WASHINGTON – 1985 a 1988
RODOLFO – 1985 e 1986
NARCISO – 1985 a 1991 (o terceiro em permanência na AFE, um exemplo de profissional)
Narciso
PAVÃO – 1988
EDSON – 1989
ROBERTÃO – 1989
ÊNIO – 1990
RUY SCARPINO – 1991 A 1993
SERGINHO – 1992
WLAMIR – 1992
AÍRTON – 1993
RONALDO – 1993
ROBERTO – 1993 e 1994
RAFAEL – 1993 e 1994
PAULO SÉRGIO – 1993 a 1996
PALMIERI – 1995
TIÃO – 1995 e 1996
TUTI – 1996 a 2000
SÉRGIO – 1997
MILTON – 1998 a 2003
WILSON – 2000
WAGNER – 2001 e 2002
EDIVALDO – 2001
LUIZ HENRIQUE – 2002 e 2004 a 2005
CLÁUDIO BOÉR – 2002
CLAUDINEI – 2003
LUCAS CERQUEIRA – 2003
DIEGO – 2004 a 2006
MÁRCIO – 2004 a 2006
TUTI – 2006 a 2008
GUILHERME – 2006 a 2009
CRISTIANO – 2007
ÉDER – 2007 a 2009
MARCÃO – 2009
ROBERTO – 2010
BRUNO PRANDI – 2010 e 2012 a 2013
EDUARDO – 2010 e 2011
LUCIANO – 2011
DOUGLAS – 2011
EVERTON – 2011 a 2013 
Everton

Percebe-se, por essa relação, que vai longe o tempo em que os jogadores permaneciam durante anos no mesmo clube. Nota-se que a partir de uma certa época, as migrações dos atletas passaram a ser uma constante. Muito raramente algum profissional fica na mesma agremiação por vários anos. Entre os goleiros, diga-se, há que se enaltecer as exceções honrosas representadas por Marcão (recentemente aposentado, depois de uma carreira toda ela em defesa do Verdão de Parque Antarctica) e Rogério Ceni, o ídolo maior da história do tricolor do Morumbi, que vem quebrando todos os recordes possíveis e imagináveis para um guardião, principalmente o de artilharia, sendo o goleiro número um do mundo em gols marcados.
Na Ferroviária de Araraquara, tivemos vários goleiros de permanência longa, destacando-se nesse particular: Sérgio Luiz Bergantin, Fia e Narciso.

Fontes:

Arquivo Pessoal

Fotos:
Que fim levou? Milton Neves
ferroviáriasa.com.br;
photoshopindesign.blogspot.com (Ilustração)

Edição: Paulo Luís Micali

Pesquisa e elaboração: Vicente Henrique Baroffaldi


 

Um comentário: