quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

DE TAQUARITINGA NOS VEM: A LEITURA QUE SE FAZIA DO FUTEBOL

 
A Revista do CAT, de autoria do jornalista Hamilton Roberto Aiéllo, editada em setembro de 1992, tem um conteúdo valioso.




Revista do CAT - autoria do jornalista Hamilton Roberto Aiéllo - 1992
 Além de informar os acontecimentos que cercaram a vida do clube de Taquaritinga, traz-nos descrições por vezes curiosas e também divertidas envolvendo o mundo futebolístico.
Trata-se de um registro de tempos idos – e também de tempos não tão idos assim – na cobertura feita com capricho pelo aludido jornalista, referente aos 50 anos de existência do CAT (1942-1992), o Clube
Atlético Taquaritinga.
As matérias foram originalmente publicadas no jornal “Cidade de Taquaritinga”.
Pinçamos alguns trechos que nos chamaram a atenção, contidos no início da publicação:
 
1942
 
Paulista de Araraquara 5 x 1 CAT (16/set)
Com vários jogadores machucados e tendo que contratar para essa partida dois jogadores de renome: Silvinha e Belem (que dizem ter vendido o jogo) o CAT foi derrotado pelo alto escore de 5 x 1
(portanto conhecendo o seu primeiro resultado negativo) pelo Paulista de Araraquara sendo que o nosso tento foi marcado por Tatias. Acompanhou o nosso conjunto enorme caravana que se acomodou em 11 carros de uma composição da E.F.A., tendo a mesma sido bem recebida na gare araraquarense.”
Guarani de Catanduva 0 x 1 CAT (20/set)
O CAT conseguiu a sua reabilitação ao jogar na cidade de Catanduva contra a forte equipe do Guarani local e vencê-lo por 1 x 0, com um gol de Dema. O destaque dessa partida foi o nosso goleiro Buck que praticou defesas que abismaram todos os assistentes. Suas seguidas pegadas eram alvos de vibrantes palmas. ...
Uma surpresa estava reservada aos jogadores e à diretoria cateana, pois, uma multidão calculada em aproximadamente 3.000 pessoas se comprimia desde a gare até a principal via que dá acesso ao centro
da cidade à espera de nossos heróis com Banda de Música, Foguetes e Vivas.”
CAT 0 x 6 S.E. Palmeiras (13/dez)
Encerrando a temporada esportiva de 1942, o CAT homenageando todos seus associados e o povo de nosso município, fez realizar no dia 13 do corrente, no Estádio Municipal o maior e mais empolgante prélio futebolístico do último decênio com a visita da Sociedade Esportiva Palmeiras de São Paulo, time que sagrou-se Campeão do País no corrente ano. E, numa tarde de total infelicidade de seu goleiro Armandinho, o CAT foi derrotado pelo elevadíssimo placar de 6 x 0. Participaram desta partida pela equipe do Palmeiras craques de renome do futebol brasileiro tais como: Clodô – Celestino – Carneira – Gengo – Américo – Del Nero – Ministrinho – Valdemar – Cabeção – Viladonica – Joane – Brandão – Romeu – Oliveira – Gagliardo – Gabardo. À noite a diretoria do CAT ofereceu em sua sede à distinta caravana palmeirense um grandioso baile, o qual se estendeu até altas horas.”
 
1943
 
CAT 7 x 1 São Paulo de Araraquara (7/mar)
Este jogo estava marcado para o dia 28 de fevereiro mas devido ao péssimo estado em que se encontravam as estradas de rodagem, por causa das chuvas, e visto que a equipe sãopaulina, transportando-se de jardineira não conseguiu chegar à nossa cidade em hora para o desenrolar da peleja, a mesma foi marcada para o dia 7 de março...”
A.A. Internacional de Limeira 1 x 1 CAT (10/abr)
Num gramado cheio de palha de arroz e sem as dimensões oficiais, teve início, perante grande torcida limeirense, a importante disputa futebolística. Apitava o jogo o Sr. Romeu Amatuzzi e o CAT vencia por 1 x 0, gol marcado por Odilon; aí, a torcida local demonstra sua insatisfação com o árbitro e começa a aprontar, chegando, inclusive, a acertar o nosso jogador Dema com uma pedrada nas costas
quando o mesmo, e uma arrancada, iria fazer o segundo tento. Com este e demais fatos foi trocada a arbitragem que teve em Gagliano Pagliuso o outro árbitro que começou aplaudido para depois o público assistente chamá-lo de irmão do outro. Ao final da partida a Inter empatou a peleja.”
CAT 1 x 1 Botafogo de Ribeirão Preto (18/abr)
A partida deste dia 18, em virtude dos valores futebolísticos postos em luta, atraiu para o nosso Estádio uma numerosa assistência. Fator que contribuiu para a presença dessa grande massa popular foi o aviso antecipado de que o jogo seria filmado, o que na verdade se verificou...”
“Nota das mais curiosas foi publicada no dia 4 de julho pelo ‘Cidade de Taquaritinga’. Eis a nota:
Sob o número 638, foi apresentada e aprovada pela diretoria do CAT, em sua reunião de 22 de junho último, a proposta de sócio do menino Gilberto Bassi, com apenas dois dias de idade. Essa proposta, que estava devidamente endossada pelo seu progenitor Osvaldo Bassi é registrada como um caso inédito nos anais esportivos e sociais de Taquaritinga.”
Nota: Os grifos são nossos.
Fonte:
CAT – 50 Anos – Sempre no Coração dos Taquaritinguenses – Hamilton Roberto Aiéllo –
Revista do CAT, do Diário “Cidade de Taquaritinga” 1992, setembro
Texto: Vicente Henrique Baroffaldi
Edição: Paulo Luís Micali

Nenhum comentário:

Postar um comentário