domingo, 2 de dezembro de 2012

SEGUNDA VIAGEM DA FERROVIÁRIA AO EXTERIOR PROVOCOU DESMONTE


Em sua segunda excursão ao exterior, a Associação Ferroviária de Esportes de Araraquara dirigiu-se às Américas do Sul e Central, no ano de 1963, em giro que se iniciou em janeiro e terminou em março.
O técnico Francisco José Sarno contou com o seguinte elenco de jogadores: Toninho, Aparecido, Zé Maria, Galhardo, Brandão, Rodrigues, Geraldo Scalera, Dudu, João, Tonhão, Ditinho, Vanderlei, Tales, Peixinho, Capitão, Nego, Mário, Bazzani e Benny.
Em 16 apresentações, a Ferrinha obteve 13 vitórias e foi derrotada em 3 jogos. Assinalou 48 gols, com média de 3 por jogo. Sofreu apenas 12.
Os jogos:

20.01.63 – Ferroviária   4 x 0  Cucuta Deportivo (COL)
23.01.63 –  Ferroviária  0 x 1   Deportivo Pereira (COL)
27.01.63 –  Ferroviária  4 x 5   Once Caldas (COL)
30.01.63 –  Ferroviária  6 x 0   Atlético Nacional (COL)
03.02.63 – Ferroviária  2 x 1    Deportivo Independiente (COL)
08.02.63 – Ferroviária  2 x 0   Deportivo Atlântico (COL)
10.02.63 –  Ferroviária  3 x 1   Club Unión Magdalena (COL)
12.02.63 –  Ferroviária  7 x 0   Deportivo Barranca (COL)
15.02.63 –  Ferroviária  3 x 0   Seleção do Panamá
17.02.63 –  Ferroviária  4 x 0   Seleção de Honduras
24.02.63 – Ferroviária  3 x 0   Seleção de El Salvador
27.02.63 –  Ferroviária  2 x 0   Seleção Municipal da Guatemala
03.03.63 – Ferroviária  2 x 1   Seleção Nacional da Guatemala
06.03.63 – Ferroviária  1 x 0   Seleção Nacional da Guatemala
10.03.63 –  Ferroviária  4 x 1   Seleção Nacional de El Salvador
12.03.63 –  Ferroviária   1 x 2   Seleção Nacional da Costa Rica
O resultado financeiro da excursão foi muito positivo, só que o êxito da campanha despertou o interesse dos grandes clubes pelos astros grenás. E a AFE foi sendo desmontada. Peixinho foi para o Santos (nada mais lógico, né?); Bazzani seguiu para o Corinthians; Dudu e Geraldo Scalera rumaram para o Palmeiras. Algum tempo depois o Corinthians levaria mais dois: Galhardo e Tales. O ponteiro-esquerdo Benny seria transferido para a Argentina.
Não demorou muito e a agremiação da Estrada de Ferro sentiria amargamente o resultado desse desmonte, sendo rebaixada em 1965, caindo da Divisão Especial para a Primeira Divisão.
 
Texto: Vicente Henrique Baroffaldi
Fontes: Fonte Luminosa – Ferroviária, de Luís Marcelo Inaco Cirino; Tópicos do Passado da AFE, de Antônio Jorge Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário