quarta-feira, 18 de julho de 2018

NA PRIMEIRA DECISÃO DA AFE, AMÉRICO MUROLO FEZ A DIFERENÇA





Em 31 de maio de 1953, a Ferroviária viveu a sua primeira decisão de campeonato. Em jogo válido pela Segunda Divisão, os afeanos apresentaram-se no Pacaembu, contra o Linense. 

A AFE era tida como favorita para o acesso, mas um jogador acabou fazendo a diferença em favor do Elefante da Noroeste: Américo Murolo, que se consagraria ainda mais ao defender, posteriormente, o Palmeiras. 

Os 3 a 0 pró Linense tiveram em Américo o artilheiro único, e em Inocêncio um goleiro invulnerável. Restou à Ferroviária esperar algum tempo mais para subir.

Murolo



Livro "Ferroviária em Campo - Breviário Grená".

AUTOR: Vicente Henrique Baroffaldi

ISBN - 978-85-7113-555-00
PÁGINAS: 310
EDITORA: PONTES



Elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

terça-feira, 17 de julho de 2018

ACONTECÊNCIAS AFEANAS: CILINHO COMEÇOU NA FERROVIÁRIA



O primeiro time profissional de Cilinho como treinador foi a AFE, no primeiro semestre de 1966. Ele montou o elenco e se foi. A agremiação presidida por Aldo Comito contratou, então, Agenor Gomes (ex-goleiro Manga, do Santos) para a difícil missão da volta à Divisão Especial. 

Cilinho já havia dirigido o Gazeta, time muito forte da várzea de Campinas, e também os juvenis da Ponte. Mas, um seu colega e amigo do Gazeta, Zé do Pito, o indicou a Aldo Comito, que confiou na indicação. Cilinho fez um excelente trabalho de preparação do time, que acabou, com Manga, voltando à Especial. 

Era o início de Cilinho como autêntico lapidador de jovens talentosos. Irreverente, controvertido, mas antes de tudo muito competente, Cilinho alcançaria o auge no São Paulo, em 1984, lançando jogadores como Muller, Silas, Sidney e Nelsinho, que se tornaram os Menudos do Morumbi.

Aldo Comito

Cilinho


Livro "Ferroviária em Campo - Breviário Grená".

AUTOR: Vicente Henrique Baroffaldi

ISBN - 978-85-7113-555-00
PÁGINAS: 310
EDITORA: PONTES



Elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

domingo, 15 de julho de 2018

FERROVIÁRIA NA FINAL DA COPA DO MUNDO






José Carrascosa marcou presença na final da Copa do Mundo, no França 4 x 2 Croácia. E difundiu mais uma vez a Ferroviária, com a camisa grená dividida com a do São Paulo.

Clique na foto para ampliar

Antes, no jogo Croácia x Rússia, ele já havia propagado a querida AFE.


Clique na foto para ampliar

Fotos: Facebook José Reinaldo Carrascosa

"FERROVIÁRIA EM CAMPO": Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

sábado, 14 de julho de 2018

ACONTECÊNCIAS AFEANAS: ELE FOI O PRIMEIRO TREINADOR DA HISTÓRIA DA AFE





A rica história da Associação Ferroviária de Esportes, de Araraquara, apresenta aspectos interessantes e curiosos que FERROVIÁRIA EM CAMPO passa a divulgar em seu blog.

Uma série de 200 Acontecências foi apresentada no livro "Ferroviária em Campo - Breviário Grená".

Agora, com fotos, esses fatos marcantes da Locomotiva são mostrados em postagens no blog.

Começamos falando sobre o primeiro treinador da história da Ferroviária.



O PRIMEIRO TREINADOR

José da Silva, o Zezinho, foi o primeiro técnico da Ferroviária, no período de abril de 1951 a outubro de 1952. Ele fora, de 1946 a 1949, o primeiro treinador do América de São José do Rio Preto. E chegou a ser, também, treinador da Associação Desportiva Araraquara (ADA). Portanto, graças à confiança nele depositada, o mignon treinador comandou tecnicamente os três clubes fundados por Pereira Lima. Zezinho foi ainda técnico de outras agremiações: Guarani de Catanduva (seu 1º clube), Rio Preto, São Paulo de Araçatuba, Penapolense, Olímpia, Fernandópolis e Tanabi. Foi o introdutor, em vários clubes, do sistema de concentração de jogadores. Vítima de complicações pulmonares, Zezinho faleceu na noite de 31.07.1979, na Santa Casa de São José do Rio Preto. Ele trabalhava numa banca de jornais e revistas, naquela cidade.


Livro "Ferroviária em Campo - Breviário Grená".

AUTOR: Vicente Henrique Baroffaldi

ISBN - 978-85-7113-555-00
PÁGINAS: 310
EDITORA: PONTES



Elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

sexta-feira, 6 de julho de 2018

A PRIMEIRA ENTREVISTA DE ROSA BRANCA À REVISTA DO ESPORTE



(CLIQUE NAS FOTOS PARA AMPLIAR











REVISTA DO ESPORTE (Nº 28, de 22.09.1959)

Elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

quinta-feira, 5 de julho de 2018

DA FAMÍLIA BAZANI, NADIR FOI DESTAQUE NO BASQUETEBOL



A Revista do Esporte nº 92, de 10 de dezembro de 1960, apresentou uma reportagem com uma das irmãs de Olivério Bazani Filho, o Rabi.

Ressaltou a condição da família, formada por desportistas.

O pai, Olivério Bazani, jogou na defesa do Corinthians. O filho Bazani atuou pela AFE (com uma história magnífica) e pelo Corinthians. Bazaninho jogou pelo São Bento, de Sorocaba, e pelo São Paulo.

Duas filhas se revelaram no basquetebol: Nadir e Shirley.


A matéria da Revista do Esporte é uma entrevista com Nadir Bazani, cestobolista que se destacou no Corinthians e depois no Palmeiras, mostrando suas qualidades de atleta.





Elaboração e edição de Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

quarta-feira, 4 de julho de 2018

UMA DAS GRANDES FORMAÇÕES DA FERROVIÁRIA




O ano foi 1958.

A Ferroviária ia formando um autêntico esquadrão que faria bonito no Campeonato Paulista de 1959.

A formação afeana na foto:

Em pé: Rosan, Porunga, Tonhão, Dirceu, Rodrigues e Helcias. Agachados: Nivaldo, Araraquara, Baiano, Bazani e Alípio.

Clique na foto para ampliar


Foto: Museu da AFE.

Elaboração e edição de Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali