terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

O PRIMEIRO GOL DA ARENA FOI DELE: FERNANDO LUÍS, LATERAL-ESQUERDO






Nome: Fernando Luís de Morais

Nascimento: 7 de outubro de 1984

Cidade natal: Patrocínio Paulista (SP)

Posição: lateral-esquerda

Período na Ferroviária: de 2005 a 2010

Gols marcados pela AFE, em competições oficiais: 3

Seu mais importante gol: Na inauguração da Arena Fonte Luminosa, em 22 de outubro de 2009. Ferroviária 2 x 1 Ituano, pela Copa Paulista. Fernando Luís marcou o primeiro gol da Arena, aos 35 minutos do primeiro tempo. Um gol visto ao vivo por 21.254 pessoas, recorde até hoje no local.

Outros clubes: Tanabi, América de Rio Preto, Guaratinguetá e Internacional de Limeira.


Jogador voluntarioso, que mantinha regularidade e se tornava elemento com quem o técnico podia contar... mas não tinha pendores de artilheiro. Lateral-esquerdo, Fernando Luís incumbia-se de defender o seu setor e municiar a peça ofensiva com suas arrancadas. Pouco finalizava.

Mesmo assim, deixou registrados três gols com a camisa da Ferroviária. O terceiro deles, de valor histórico por se tratar do primeiro tento anotado na Arena Fonte Luminosa.

Jogando de 2005 a 2010 na Ferroviária, Fernando Luís marcou nos jogos:

07.02.2007 – Osasco 0 x 1 Ferroviária – Campeonato Paulista da Série A3. Portanto, foi o gol que deu a vitória à Locomotiva.

15.08.2009 – Ferroviária 2 x 1 Mirassol – Copa Paulista – Fernando Luís anotou o segundo gol afeano.

22.10.2009 – Ferroviária 2 x 1 Ituano – Copa Paulista – Fernando Luís abriu a contagem, aos 35 minutos do primeiro tempo, marcando o primeiro gol da Arena Fonte Luminosa, aproveitando um rebote do goleiro e fazendo de cabeça.


Prova da regularidade

Quem visita o site Afenet, do grande afeano Paulinho Vidal, pode testemunhar o seguinte: no Campeonato Paulista de 2007, Série A3, Fernando Luís jogou 20 partidas, total igualmente alcançado pelo zagueiro Mauro Viana e pelo atacante Douglas Richard. Mais que eles, somente Thiago Costa, que jogou 21 vezes. Total de jogos da competição: 25. 


Permanência na Ferroviária 

Num tempo em que o giro de atletas profissionais de futebol se torna cada vez mais alucinante, com rotatividade que provoca instabilidade, Fernando Luís foi um jogador que permaneceu na Ferroviária por período considerável: seis anos. Teve um empréstimo no segundo semestre de 2008, quando defendeu o Guaratinguetá no Campeonato Brasileiro. 

O vigoroso lateral-esquerdo mostrou serviço e dedicação e será sempre lembrado – assim são as coisas – pela marcação do gol histórico contra o Ituano, no primeiro jogo da Arena de Araraquara.


Inauguração da nova Arena da Fonte Luminosa -
 Ferroviária 2 x 1 Ituano - Copa Paulista - 22/10/2009.
 Em pé: Dú Rosa (auxiliar de preparação física) - Diego - Gui Alves - Amarildo - Joel - Fernando Luís - Leandro Banana - André - Daniel - Marcão - Kavanha (fisioterapeuta) - Raul (preparador físico) e Narciso (preparador de goleiros).
Agachados: Henrique - Pedro - Felipe Dias - Assis - Feijão - Laertinho - Biro - Walker - Abuda - Leonardo Cunha (Médico) e Marquinhos (massagista).



Fontes:
- Acervo de “Ferroviária em Campo”
- Afenet (site de Paulinho Vidal)
- ferroviariasa (site oficial da Ferroviária)
Fotos:Facebook; Tetê Viviani

Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

ZÉ LUIZ, O CRAQUE DA CAMISA 8 DA FERROVIÁRIA




Nome: José Luiz dos Santos 
Nascimento: 20 de setembro de 1945
Cidade natal: São José dos Campos (SP)
Período na AFE: 1968 a 1973


Lance e Zé Luiz - 1973 
Um dos maiores jogadores que a Ferroviária já teve foi Zé Luiz, craque da camisa 8. Talentoso, tinha um futebol clássico e objetivo, energizado pela grande aplicação.

Jogou na AFE de 1968 a 1973. Logo no primeiro ano em Araraquara, foi campeão do Interior, fez uma partida memorável contra o Napoli (Itália), entrando no segundo tempo e marcando três gols, e participou da vitoriosa excursão à América Central e Colômbia (foi um dos artilheiros do time, com três gols, ao lado de Peixinho, Maritaca e Baiano).

No ano seguinte – 1969 – participaria ativamente da campanha do Tri do Interior, sendo um dos maiores destaques da equipe.

Ouvido por Paulo Micali (de “Ferroviária em Campo”), Zé Luiz resumiu assim a sua trajetória no futebol:

“Eu jogava na várzea. O povo do Corinthians me viu jogando e me levaram pra lá. Fiquei um tempo no Parque São Jorge e fui emprestado para o XV de Piracicaba. Joguei três meses no XV, fiz um bom campeonato e voltei para o Corinthians. Mas não permaneci no clube. Fui emprestado para o São José e por lá fiquei três anos.

Casei em São José dos Campos, consegui o acesso com o time, mas o São José não pôde subir, pois o estádio não tinha capacidade.

Lance, Leão, Baiano e Zé Luíz
Permaneci três anos no São José e depois vim para a Ferroviária, juntamente com o lateral-direito Baiano (José Senador), trazidos pelo técnico Diéde Lameiro. Na Ferroviária, foram seis anos.

Depois, fui para o Comercial, de Ribeirão Preto, onde joguei três anos. Após isso, rodei por muitos times, até pelo Mato Grosso (Mixto de Cuiabá), e voltei para São Paulo, jogando no Juventus. Foi onde encerrei a minha carreira.”

Depois que parou de jogar, Zé Luiz ainda mexeu com o futebol (amador, veteranos), na firma onde trabalhava. Ao se aposentar, parou também com o futebol. Ele mora em São José dos Campos, sua terra natal.

Em pé: Baiano, Carlos Alberto, Muri, Ticão, Zé Carlos e Fernando;
Agachados: Tonho, Zé Luís, Lance, Ademir e Nei

Gols pela Ferroviária 

Embora não saiba quantos foram, Zé Luiz marcou bom número de gols pela AFE.

Em 1968, foram 4 gols no Campeonato Paulista e 3 na excursão ao exterior (foi quem mais marcou, juntamente com Peixinho, Maritaca e Baiano).

Em 1969, não anotou tentos no certame paulista.

Em 1970, fez 6 gols no Paulistinha (1ª edição), empatando com Bebeto na primeira colocação entre os artilheiros. No Paulistão, anotou 1 tento. E no Paulistinha (2ª edição), marcou mais 2 gols. No ano, com 9 gols, foi quem mais marcou pela Ferroviária, juntamente com o seu amigo Lance. 

O goleiro são-paulino Sérgio Valentim
com os jogadores Lance e Zé Luís
Em 1971, Zé Luiz marcou 5 gols no Campeonato Paulista e 2 no Paulistinha. No ano, ficou em 2º lugar entre os artilheiros grenás, com 7 gols. O 1º lugar voltou a ser de Lance, o centroavante.

Em 1972, foram 3 gols no Paulistão e 1 no Paulistinha.

E em 1973, Zé Luiz marcou 2 tentos no certame bandeirante.

Não foram computados, aqui, os gols marcados pelo grande meia-direita em partidas amistosas.

Em jogos oficiais de competição, e mais na excursão ao exterior em 1968, Zé Luiz marcou 29 gols com a camisa grená. 


Capacete

Entre os colegas, tinha o apelido de Capacete. O jornalista e fotógrafo Tetê Viviani, em matéria para o site oficial da Ferroviária, assim comentou a origem desse cognome:

“O apelido Capacete é uma referência ao cabelo baixo, e, como Zé Luiz usava sempre o mesmo corte, ligaram seu visual a uma pessoa com a proteção usada pelos motoqueiros naqueles memoráveis anos 60.”

 Ferroviária em 1969. Em pé,: Baiano, Carlos Alberto, Fogueira, Muri, Ticão, Pádua e o técnico Vail Mota.
Agachados, na mesma ordem: Rola (massagista), Valdir, Zé Luís, Ismael, Bazani e Nei.


Atenção, Ferroviária!

Zé Luiz afirma ter netos e outros jovens parentes que merecem uma oportunidade no futebol, pois jogam bem. O “sangue” é bom... o parentesco com o ex-craque afeano recomenda. Quem sabe surjam novos talentos da mesma estirpe... 


AFE 1971 - Em pé: Getúlio, Baiano, Ticão, Tonhé, Zé Carlos e Fernando.
 Agachados:  Maurinho, Zé Luís, Lance, Bazani e Nei.


Fontes:
- Entrevista de Paulo Luís Micali com Zé Luiz
- Acervo de “Ferroviária em Campo”

Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

OLHA NO QUE DEU QUANDO A FERROVIÁRIA RECEBEU O SANTO ANDRÉ NA FONTE LUMINOSA





A história do confronto Ferroviária x Santo André mostra um total de 37 jogos realizados. A vantagem é da agremiação de Araraquara, que conquistou 14 vitórias contra 10 do Ramalhão. Foram registrados 13 empates. A AFE assinalou 47 gols contra 48 do adversário. Embora com quatro vitórias a mais, a Locomotiva estabeleceu contagens menores que o time azul do Grande ABCD, o que explica esse saldo negativo em gols.

Como é a história de Ferroviária e Santo André na Fonte Luminosa?

O local do próximo embate entre esses antagonistas será de novo a Fonte Luminosa, na quarta-feira à noite. Então, “Ferroviária em Campo” levantou os encontros já verificados no mesmo local entre grenás e alvicelestes.

Em Araraquara, a Ferroviária é absoluta. Em 17 jogos realizados, ela ganhou 10 e perdeu apenas 1, empatando 6. Marcou 25 gols e sofreu 12.

O jogo mais emocionante desses 17 foi, sem dúvida, o do dia 31 de março de 2013, quando a Ferroviária, graças a um gol de Jônatas Obina salvou-se da degola, beneficiada também por uma incrível combinação de resultados na última rodada do Paulista da A2. Com o otimista Jorge Saran a dirigi-la, a Ferroviária superou suas limitações e sobrepujou o Santo André por 1 a 0, permanecendo assim na A2.

31/03/13 - Ferroviária 1 x 0 Santo André

Eis a relação dos 17 jogos realizados entre Ferroviária e Santo André, em Araraquara, sempre na Fonte Luminosa:

1 – Ferroviária 1 x 0 Santo André – 20.03.1982 – Torneio Seletivo da FPF – Gol do zagueiro Marco Antônio, com um minuto de jogo. Douglas Onça perdeu um pênalti aos 35 minutos do primeiro tempo. Formação da AFE: Luís Fernando; Marinho Paranaense, Pim, Marco Antônio e Divino; Sidnei, Douglas Onça (Miltinho) e Zilinho; Jorginho, Marinho Rã e Claudinho. Técnico: Roberto Brida.

2 – Ferroviária 4 x 0 Santo André – 06.10.1982 – Campeonato Paulista da divisão principal – Os quatro gols foram de autoria de Zé Roberto. Time da AFE: Luís Fernando; Marinho Paranaense, Fernando, Pinheirense (Hermínio) e Divino; Wilson, Douglas Onça e Zé Roberto; Claudinho, Marcão e Bozó (Jorginho). Técnico: Diéde Lameiro

3 – Ferroviária 1 x 0 Santo André – 29.06.1983 – Campeonato Paulista da divisão principal – Gol marcado por Mirandinha, aos 6’ do 1º tempo, cobrando pênalti. Formação da AFE: Luís Fernando; Marinho, Vica, Arouca e Zé Rubens; Pinheirense, Zé Roberto e Bozó; Jorginho (Beto Faísca), Mirandinha e Claudinho. Técnico: Roberto Brida

4 – Ferroviária 1 x 1 Santo André – 16.09.1984 – Campeonato Paulista da divisão principal – Gol da AFE marcado por Douglas Onça. Ferroviária: Ivã; Demá, Douglas Oliveira, Beto Fuscão e Divino; Sidnei, Douglas Onça e Miranda IJair); Ronaldo (Miltinho), Dirceu e Claudinho. Técnico: Roberto Brida 

5 – Ferroviária 1 x 0 Santo André – 14.07.1985 – Campeonato Paulista da divisão principal – Gol marcado por Mauro Pastor, aos 32 minutos da etapa final. Ferroviária: Washington; Balu, Mauro Pastor, Marco Antônio e Nonoca; Paulo Martins, Sidnei (Cardim) e Wilson Carrasco (Vítor); Serginho, Toninho e Nenê. Técnico: Olivério Bazani Filho 

6 – Ferroviária 0 x 0 Santo André – 27.07.1986 – Campeonato Paulista da divisão principal – Ferroviária: Washington; Nenê, Mauro Pastor, Marco Antônio e Nonoca; Orlando, Sidnei (Valdir Chic Chic) e Cardim; Américo, Marcão e Marcos Ferrugem (Donato). Técnico: Olivério Bazani Filho 

7 – Ferroviária 1 x 0 Santo André – 25.03.1987 – Campeonato Paulista da divisão principal – Gol assinalado por Jones, aos 30 minutos do primeiro tempo. Ferroviária: Washington; Caíco, Mauro Pastor, Dama e Chico Assis; Sidnei, Gérson Sodré e Rubens Feijão; Toquinho (Noronha), Jones (Toninho) e Américo. Técnico: Olivério Bazani Filho 

8 – Ferroviária 4 x 4 Santo André – 29.05.1988 – Campeonato Paulista da divisão principal – Um jogo surpreendente, no qual a Ferroviária chegou a fazer 4 a 1 no primeiro tempo e acabou cedendo terreno ao Ramalhão, que reagiu decisivamente na etapa complementar. Os gols afeanos foram marcados por Marcão, Donato e Betão (2). Ferroviária: Pavão; Wallace, Nenê Cardoso, Léo e Nonoca; Donato, Betão e Meinha; Toquinho, Marcão e Silvano (Wilsinho). Técnico: Sérgio Clérice

9 – Ferroviária 0 x 0 Santo André – 09.05.1993 – Campeonato Paulista da divisão principal – Ferroviária: Ruy; Batista, Mauro, Fonseca e Luciano; Alcinei, João Batista e César; Gílson (Moisés) (Nordivaine), Romildo e Edelvan. Técnico: Vail Motta. Obs.: A AFE sagrou-se vice-campeã do Paulistinha/1993, com o título máximo sendo alcançado pelo Novorizontino.

10 – Ferroviária 1 x 0 Santo André – 20.02.1994 – Campeonato Paulista da divisão principal – Gol de Marquinhos Capixaba, cobrando falta aos 33 minutos do 2º tempo. Ferroviária: Rafael (Daniel); Marquinhos Capixaba, Vilmar, Ronaldo Marconato e Bezerra; Beto, Estrela e César (Luciano Silva); Serginho (Otávio Augusto), Daniel e Joãozinho. Técnico: Vail Motta 

11 – Ferroviária 1 x 0 Santo André – 03.09.1994 – Amistoso Estadual – Gol marcado por Luciano Oliveira, aos 17’ do 1º tempo. Ferroviária: Paulo Sérgio; Marquinhos Capixaba, Vilmar, Julimar e Gérson; Cacau, Pedrinho e Volnei (Serginho); Gilmar (Naldinho), Vanderlei (Júlio César) e Luciano Oliveira (Ramelo). Técnico: Marcão 

12 – Ferroviária 3 x 3 Santo André – 11.05.1997 – Campeonato Paulista, Série A2/Paulistinha – Gols grenás de Antônio Carlos e Maicon (2). Ferroviária: Tuti; Ti, Lino, André e Toco; Emerson, Celso, Maicon e Tita (Wilson Carrasco); Fabinho (Lê) e Antônio Carlos (William). Técnico: Waldir Peres

13 – Ferroviária 0 x 0 Santo André – 15.09.2002 – Campeonato Brasileiro, Série C – Ferroviária: Luiz Henrique; Jairo, Otacílio, Marcel e Marquinhos; Rodrigo Bido, Luizão, Calazans (Anderson) e Rodney (Zé Ilton); Lei e Marcos Alemão (Giba). Técnico: Zé Humberto 

14 – Ferroviária 2 x 1 Santo André – 17.11.2002 – Copa Mauro Ramos de Oliveira (Semifinal) – Gols afeanos marcados por Rodrigo Dias e Giba (que perdeu um pênalti defendido por Wagner). Ferroviária: Mílton; Jair, Otacílio, Marcel e Birinha; Rodrigo Bido, Luizão (Lucas Polito), Rodrigo Dias e Carlinhos (Lei); Fábio Zeni e Giba (Danilo). Técnico: Zé Humberto 

15 – Ferroviária 1 x 2 Santo André – 19.04.2008 – Campeonato Paulista, Série A2 – Gol único da AFE marcado por Marcel. Ferroviária: Tuti; Rafael Rocha (Robson), Marcel e Anderson Carvalho; Gerônimo (Chimba), Vagner, Jonas, Cascata e Zé Luiz; Osny e Fabinho. Técnico: Sérgio Luiz Bonifácio (Telão)

16 – Ferroviária 1 x 0 Santo André – 31.03.2013 – Campeonato Paulista, Série A2 – Gol salvador de Jônatas Obina, aos 7’ do 2º tempo, livrando a Ferroviária do rebaixamento. Formação grená: Everton; Mário, Neguete, Vinícius Golas e Léo Carvalho; Renan, Nildo e Jérson (Jônatas Obina); Romarinho (Fabinho), Wellington Amorim (Di Fábio) e Ney Mineiro. Técnico: Jorge Saran. Obs.: Muita emoção na Arena Fonte Luminosa, com a Ferroviária safando-se de última hora e de forma dramática da degola. Pela vitória e pela combinação tida como quase impossível de outros resultados. Obina, pelo gol, e o técnico Jorge Saran (pelo otimismo que contagiou o time) foram os destaques principais.

17 – Ferroviária 3 x 1 Santo André – 07.04.2015 – Campeonato Paulista, Série A2 – Gols da Locomotiva: Fio, Roberto e Alan Mineiro. Ferroviária: Rodolfo; Paulo Henrique, Luan, Patrick e Roberto; Renato Xavier, Milton Júnior, Danilo Sacramento (Jairo) e Alan Mineiro; Tiago Adan (Bruno Moraes) e Fio (Elder Santana). Técnico: Milton Mendes 

Ferroviária 3 x 1 Santo André – 07.04.2015

O retrospecto é altamente favorável, mas isso não garante o sucesso nesse novo desafio da quarta-feira. Depois da estreia como técnico na Vila Belmiro, derrotando o Santos FC, Paulo César de Oliveira enfrenta novo desafio: sequenciar a boa estreia com mais um triunfo para sedimentar uma campanha que começou muito mal mas que mostrou, nos dois últimos jogos, uma recuperação promissora. 

Fonte:
Acervo de “Ferroviária em Campo”
Fotos: "Ferroviária em Campo"

Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

sábado, 18 de fevereiro de 2017

PRIMEIRA VITÓRIA DA FERROVIÁRIA NO PAULISTÃO ACONTECE EM PLENA VILA BELMIRO: SANTOS 0 X 1 FERROVIÁRIA



Depois de duas derrotas nos primeiros jogos (para Ponte Preta e Mirassol) e um empate no terceiro, contra o Audax, em plena Arena, a Ferroviária finalmente obteve um triunfo no Campeonato Paulista de 2017.

Picoli saindo e PC Oliveira assumindo em meio à grande preocupação da massa torcedora afeana... e ainda por cima o diretor de futebol, José Manoel Evaristo mandando-se pra sua cidade, ao que parece desligando-se de suas funções e dando início a uma crise verdadeiramente preocupante.

Esses ingredientes todos faziam do jogo de Vila Belmiro um teste de peso gigantesco. Uma derrota para o Peixe deixaria a Ferroviária em situação aflitiva. Se desenharia, inevitavelmente, uma realidade apavorante para os seguidores do clube de Araraquara.

Acontece que, contrariando a mais otimista das expectativas, o time do estreante Paulo César de Oliveira resistiu bravamente ao assédio do onze praiano, que colocou pressão o tempo todo do primeiro período.

Os interioranos sustentaram-se briosamente em seu campo defensivo, promovendo seguidos impedimentos da linha avançada do Santos e conjurando em inúmeras oportunidades os lances mais agudos dos praianos, que, a bem da verdade, não se acertaram em campo. Mas atacaram... e muito.

Leandro Amaro
No segundo tempo, ainda firme na defesa, a Locomotiva resolveu fazer algumas incursões ao campo de ataque. E em uma delas, na cobrança de um escanteio pela direita, Alan Mineiro serviu o zagueirão Leandro Amaro, um exímio cabeceador, que mandou para as redes santistas, pelo lado direito da meta de Vladimir, estabelecendo a vantagem de 1 a 0, sustentada até o final do espetáculo.

Uma vitória importantíssima para dar fôlego aos grenás. Quarta-feira tem um novo desafio, na Arena Fonte Luminosa, contra o Santo André, o Ramalhão que surpreendeu o Corinthians fazendo 2 a 0 em plena Arena de Itaquera. Aliás, o time azul da Grande São Paulo está invicto no campeonato e representa mais um sério risco ao time de PC.

A torcida afeana tem um novo estímulo para ir ao estádio. Seu time soma quatro pontos e mostra que poderá reagir bravamente na competição. Resta esperar que a vitória de Santos seja seguida de um novo sucesso, o que daria maior tranquilidade para o quadro da Morada do Sol desenvolver um melhor futebol e sacramentar a sua sustentação na divisão de elite do futebol paulista, o melhor do país.



FICHA TÉCNICA
   
SANTOS X FERROVIÁRIA
  
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 18 de fevereiro de 2017, quarta-feira
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza
Assistentes: Alex Ang Ribeiro e Herman Brumel Vani
Renda: R$ 165.565,00
Público: 5.655 pagantes
Cartões amarelos: Patrick, William Cordeio, Matheus (Ferroviária); Cléber (Santos)
Cartões vermelhos: Cléber (Santos)
Gol: FERROVIÁRIA: Leandro Amaro, aos 28 minutos do 2º tempo
SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Cleber, Yuri e Zeca; Leandro Donizete (Arthur Gomes), Thiago Maia e Léo Cittadini (Bruno Henrique); Vitor Bueno, Copete e Ricardo Oliveira (Thiago Ribeiro). Técnico: Dorival Júnior
FERROVIÁRIA: Matheus; William Cordeiro, Leandro Amaro, Patrick e Léo Veloso; Flávio, Claudinei (Kelvy), Fábio Souza e Alan Mineiro (Raniele); Capixaba (Tiago Marques) e Elder Santana. Técnico: PC Oliveira

Fotos: Estadão; Jc Net. Espn; Globo Esporte; Internet.

Elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali 

domingo, 12 de fevereiro de 2017

AS DUAS PASSAGENS DE PICOLI PELA FERROVIÁRIA




“Ferroviária em Campo” levantou os jogos nos quais Antônio Picoli dirigiu o time principal da Ferroviária, nos dois períodos, em 2014 e 2016/17.


No geral, o treinador somou 43 jogos, ganhou 21, empatou 13 e perdeu somente 9. Seu time assinalou 71 gols e sofreu praticamente a metade, 36. São números que poucos técnicos conseguem, mas que não bastaram para lhe dar sustentação e seguir dirigindo a Locomotiva.

Nome: Edemar Antônio Picoli

Data de nascimento: 28 de abril de 1972

Cidade natal: Caibi (SC)



PICOLI NA FERROVIÁRIA – I
(Período: 26/02 a 29/07/2014)

Campeonato Paulista – Série A2 
1 – 26.02.2014 – São Bento 0 x 0 Ferroviária 
2 – 01.03.2014 – Ferroviária 5 x 0 Guaratinguetá
3 – 08.03.2014 – Ferroviária 0 x 0 São José 
4 – 15.03.2014 – Rio Branco 0 x 2 Ferroviária 
5 – 19.03.2014 – Ferroviária 1 x 0 Grêmio Barueri 
6 – 22.03.2014 – Ferroviária 2 x 1 Grêmio Osasco 
7 – 26.03.2014 – Itapirense 2 x 1 Ferroviária 
8 – 29.03.2014 – Red Bull Brasil 1 x 0 Ferroviária 
9 – 05.04.2014 – Ferroviária 1 x 1 São Caetano 
10 – 13.04.2014 – Mirassol 3 x 0 Ferroviária 

Copa Paulista 
11 – 19.07.2014 – Ferroviária 1 x 0 Mirassol 
12 – 26.07.2014 – Santacruzense 1 x 1 Ferroviária 
13 – 29.07.2014 – Comercial 0 x 2 Ferroviária 




PICOLI NA FERROVIÁRIA – II
(Período: 04/05/2016 a 11/02/2017)

Copa do Brasil/2016
1 – 04.05.2016 – Ferroviária 3 x 3 Fluminense 
2 – 12.05.2016 – Fluminense 3 x 0 Ferroviária 


Copa Paulista/2016
3 – 10.07.2016 – Rio Claro 0 x 0 Ferroviária 
4 – 16.07.2016 – Ferroviária 0 x 0 Comercial 
5 – 23.07.2016 – Ferroviária 5 x 0 Matonense 
6 – 27.07.2016 – Batatais 0 x 2 Ferroviária 
7 – 30.07.2016 – Ferroviária 5 x 0 Independente 
8 – 06.08.2016 – São Carlos 0 x 2 Ferroviária 
9 – 20.08.2016 – Ferroviária 1 x 0 Rio Claro 
10 – 28.08.2016 – Comercial 1 x 1 Ferroviária 
11 – 04.09.2016 – Matonense 0 x 3 Ferroviária 
12 – 07.09.2016 – Ferroviária 4 x 0 Batatais 
13 – 10.09.2016 – Independente 0 x 5 Ferroviária 
14 – 18.09.2016 – Ferroviária 3 x 1 São Carlos 
15 – 24.09.2016 – Grêmio Catanduvense 2 x 1 Ferroviária 
16 – 28.09.2016 – Ferroviária 2 x 2 Bragantino 
17 – 01.10.2016 – Santos B 0 x 1 Ferroviária 
18 – 08.10.2016 – Ferroviária 5 x 2 Santos B 
19 – 12.10.2016 – Bragantino 0 x 1 Ferroviária 
20 – 15.10.2016 – Ferroviária 1 x 0 Grêmio Catanduvense 
21 – 22.10.2016 – Nacional 1 x 1 Ferroviária 
22 – 29.10.2016 – Ferroviária 2 x 1 Nacional 
23 – 05.11.2016 – São Caetano 0 x 0 Ferroviária 
24 – 12.11.2016 – Ferroviária (5) 1 x 1 (4) São Caetano 
25 – 19.11.2016 – XV de Piracicaba 2 x 0 Ferroviária 
26 – 26.11.2016 – Ferroviária (2) 3 x 1 (4) XV de Piracicaba 


Amistoso 
27 – 01.02.2017 – Corinthians 1 x 0 Ferroviária 

Campeonato Paulista/2017 
28 – 05.02.2017 – Ponte Preta 2 x 1 Ferroviária 

Copa do Brasil/2017 
29 – 08.02.2017 – Ferroviária 1 x 1 ASA (AL) 

Campeonato Paulista/2017 
30 – 11.02.2017 – Ferroviária 1 x 3 Mirassol 


RESUMO

Competição...................
J
V
E
D
GP
GC
SG
Copa do Brasil/2016
2
0
1
1
3
6
-3
Copa Paulista/2016
24
15
7
2
49
14
35
Copa do Brasil/2017
1
0
1
0
1
1
0
Camp. Paulista A1/2017
2
0
0
2
2
5
-3
Amistoso
1
0
0
1
0
1
-1
TOTAL
30
15
9
6
55
27
28


RESUMO GERAL

(As duas passagens de Picoli pela Ferroviária)

Passagens
J
V
E
D
GP
GC
SG
Primeira
13
6
4
3
16
9
7
Segunda
30
15
9
6
55
27
28
TOTAL
43
21
13
9
71
36
35







Fonte:
Acervo de “Ferroviária em Campo”
Fotos: Internet

Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali