domingo, 22 de abril de 2018

FERROVIÁRIA NA TAÇA DE PRATA DE 1981: TURQUINHO PREPARANDO O TIME EM NOVO HAMBURGO

Na matéria fotos ampliadas, é só clicar e conferir

A Ferroviária participou da Taça de Prata em 1981. A competição correspondia à atual Série B do Campeonato Brasileiro.
     
A estreia se deu na cidade gaúcha de Santa Maria e a AFE venceu bem o Internacional local, por 4 a 2.
     
Animados pela estreia vitoriosa, os afeanos partiram para Novo Hamburgo a fim de enfrentar o Nóia (apelido do Novo Hamburgo), na segunda rodada.
   
V. Fazolaro
V. Fazolaro
Então, hospedados em hotel daquela cidade, os atletas da Ferroviária aproveitaram o gramado do próprio hotel para realizar seus aprontos. Comandados pelo professor de Educação Física, Vanderlei Vicente Fazolaro (mais conhecido como Turquinho), os defensores da jaqueta grená deram duro e se prepararam para o segundo compromisso, no qual sustentaram um bom empate por 0 a 0, voltando do Sul invictos.
     
Graças ao Turquinho, que conservou fotos do treinamento, “Ferroviária em Campo” tem a oportunidade de, transcorridos 37 anos, apresentar fotos da preparação dos atletas.
     
Em uma delas, torna-se fácil a identificação dos atletas mais à frente do grupo, VICA, CARLOS, DOUGLAS NEVES E CLAUDINHO.  À direita, a presença do preparador físico Turquinho.

CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIAR

Na segunda foto, uma geral do grupo sob o comando de Turquinho.
    
Foi a primeira vez que a Ferroviária enfrentou o Novo Hamburgo.

CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIAR


FICHA DO JOGO

Novo Hamburgo 0 x 0 Ferroviária

Data: 14 de janeiro de 1981, quarta-feira (noite)
Local: Estádio Santa Rosa, em Novo Hamburgo (RS)
Finalidade: Taça de Prata – 1981
Árbitro: Afonso Vítor de Oliveira (PR)
Novo Hamburgo – Júlio; Manuel, Ronaldo, Paulo, Vieira e Joaquim; Lourival, Dagoberto e Éderson; Itamar, Jorge (Cabreira) e Passos.
Ferroviária – Tião; Aluísio, Vica, Samuel e Divino; Carlos, Sídnei e Douglas; Claudinho, Radar e Bispo.


ONTEM, NOVO EMPATE

Na noite de ontem, 21 de abril de 2018, passados 37 anos do primeiro encontro, Ferroviária e Novo Hamburgo voltaram a se enfrentar. A exemplo do primeiro jogo, também no de ontem o placar final acusou empate, só que com gols: 1 a 1. Assim, na pequena história de AFE x Novo Hamburgo, dois jogos e dois empates.


Fonte:
Acervo de “Ferroviária em Campo”
    
Fotos: Arquivo de Vanderlei Vicente Fazolaro (Turquinho)

Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

terça-feira, 17 de abril de 2018

ZAGUEIRO ANDRÉ RELEMBRA OS TEMPOS DE FERROVIÁRIA



“Ferroviária em Campo” abre espaço para as declarações do ex-zagueiro afeano ANDRÉ, formado na base do clube, no qual permaneceu por 12 anos, alcançando o time de profissionais e participando da campanha de acesso em 2010, quando a Ferroviária subiu da A3 para a A2 do Campeonato Paulista.

André Martins do Sacramento Júnior nasceu em Araraquara (SP), no dia 10 de julho de 1986. Ingressando na AFE, galgou todas as categorias de base até chegar ao profissional. Deixou a agremiação grená após o Paulista de 2010, indo para o Rio Claro.

André formou uma dupla de zaga bastante eficiente com Amarildo, com quem jogou na Copa Paulista de 2009 e de modo mais efetivo no Paulista da A3, em 2010.


Em pé: Éder, Osni, Fernando Luiz, Fernando, Andrezão, Vagnão,
Agachados: Marcelo Tevez, Carlão, Júlio Barbosa, Leônico, Willian


PRIMEIROS TEMPOS

André, ou Andrezão, rememora os seus primeiros tempos de Ferroviária:

“Pelo que me lembro, a primeira vez que cheguei no Infantil da Ferroviária foi em 1998. Na época a equipe estava indo jogar um campeonato no Chile. Lembro que  eu treinava mas para aquele certame não daria mais tempo de eu ir.”

“Detalhes de nossa equipe de base: ficamos sem perder durante 56/57 jogos consecutivos, entre campeonatos regionais, estaduais, campeonato da cidade e aqueles torneios que se disputava em outras cidades. Na época nossa equipe de 86 foi considerada a base mais forte que a Ferroviária já tinha tido até então, no Infantil.”

Em pé: Elias, Leozão, Stucchi, Fabinho, Adriano, Marcel, Diego, Andrezão, Alex,Tiago, Agachados: Doulas, Léo, Rafinha, Robson, Puin, Mateus, João Bilac e Eder (equipe infantil,invicta 56/57 jogos)

GOL VALIOSO

André, camisa 3, foi o autor de um gol importantíssimo para a sorte da Ferroviária no Campeonato Paulista de 2010, Série A3. Na Fonte Luminosa, contra o rival Comercial, em 25.04.2010, a Locomotiva perdia por 1 a 0. Num cruzamento aéreo da direita, André subiu bem e levou a melhor sobre a zaga comercialina, mandando a bola para os fundos da rede, num cabeceio fulminante.




Sobre esse lance memorável, André assim se pronuncia:

“Pra mim foi o gol mais importante que fiz nos meus 12 anos de Ferroviária. Amo esse clube, foi minha casa por um bom tempo.”

“Foi o gol mais importante durante minha passagem pela Ferroviária por vários motivos:

1 – Foi o primeiro gol que fiz pra minha filha recém-nascida.

2 – Gol importantíssimo já que estávamos perdendo o jogo para o Comercial com casa cheia na Arena da Ferroviária e consegui ajudar empatando e depois viramos com Leandro Miranda, de falta, jogo esse que nos colocou a uma vitória do acesso, aquele ano (2010).

3 – Toda minha família estava no estádio naquele jogo.”


Em pé: Tiago , Rafael Stucchi, Bruno Braghini, Andrezão, Fabinho, Robson
Agachados: Éder, Mateus, Leonardo,Thiago Caveira e Rafinha

DUPLA COM AMARILDO

A respeito da dupla de zaga formada com Amarildo, em 2010, no acesso à Série A2:

“Aquela dupla de zaga foi, simplesmente, uma das mais entrosadas que eu tive o privilégio de formar. Nos dávamos bem dentro e fora de campo. Defino a dupla em uma palavra: segura.”


Em pé:Amarildo, Guilherme Alves, Andrézão, Assis, Rodrigo César, Roberto
Agachados: Rodrigo, Leandro Miranda, Paulo Henrique, Danilo Martins, Júlio César


ROTEIRO NO PROFISSIONAL

André, camisa 3 da AFE, teve o seguinte roteiro no futebol profissional do clube:

- Em 18.04.2007, participou do jogo amistoso contra o Corinthians B, vencido pela Ferroviária por 3 a 0, numa noite de quarta-feira. Naquela ocasião, prestou-se uma significativa homenagem ao camisa 10, Olivério Bazani Filho, com inauguração de um busto na entrada principal do estádio da Fonte Luminosa. A partida contra o Timão B fez parte das homenagens, uma vez que o Rabi defendeu a AFE e o Corinthians.

- Copa FPF de 2007: 8 jogos.

- Campeonato Paulista da Série A2 em 2008: 18 jogos.

- Copa Paulista de 2008: 14 jogos.

- Campeonato Paulista da Série A3 em 2010: 19 jogos dos 27 disputados pela Ferroviária. Quase sempre formando dupla de zaga com Amarildo.

- Última presença no time principal afeano em 04.08.2010, na Fonte Luminosa, no amistoso contra o Santos de Neymar, depois do acesso. André deixaria o clube pouco depois.


André marcando Neymar


OUTROS CLUBES

2011 a 2013 – Rio Claro

2014 – Sertãozinho e América (GO)

2015 – Uberlândia (MG)

2016 – Velo Clube e São Carlos

2017 – Velo Clube e Comercial (MS)

2018 – São Bernardo


 GALERIA DE FOTOS



  






FONTES:
- Informações prestadas por André.
- Acervo de “Ferroviária em Campo”.
- Site ogol.com.br

FOTOS:
- Fornecidas pelo atleta André

VÍDEO (Gol contra o Comercial):
- Enviado pelo atleta André

PESQUISA, ELABORAÇÃO E EDIÇÃO: VICENTE HENRIQUE BAROFFALDI e PAULO LUÍS MICALI

sábado, 14 de abril de 2018

FATOS IMPORTANTES NA HISTÓRIA DA FERROVIÁRIA EM 15 DE ABRIL




15 de abril de 1956


Goleando o Botafogo F.C., de Ribeirão Preto, pelo placar de 6 a 3, na Fonte Luminosa, a Ferroviária consegue o primeiro acesso de sua história, alcançando o Campeonato Paulista da Primeira Divisão.
Os gols grenás foram de autoria de Bazani (2), Cardoso (2) e Gomes (2). Formação da AFE naquele domingo: Fia; Izam e Ferraciolli; Dirceu, Pixo e Helcias; Paulinho, Cardoso, Gomes, Bazani e Boquita. Técnico: Clóvis Van-Dick (Capilé). Árbitro da decisão: Paulo Simões.



15 de abril de 1959


Inauguração oficial do sistema de iluminação do estádio da Fonte Luminosa. A Ferroviária recebe o Clube de Regatas Vasco da Gama. Resultado final: 3 a 3. Gols afeanos: Paulinho (contra), Bazani e Capelosa. Gols vascaínos: Almir, Antoninho (contra) e Rubens (pênalti). Antoninho perdeu um pênalti. Além da inauguração dos refletores, a festa serviu também para a comemoração dos nove anos de existência do clube.


15 de abril de 1962


Nasce JORGE SARAN (Honorato Jorge Saran), na cidade de Sertãozinho (SP). Em 2013, assumindo a direção técnica nos últimos jogos do Campeonato Paulista da Série A2, Saran livrou o time do rebaixamento em condições as mais emocionantes. Usando de muita psicologia e um otimismo fora do comum, Saran conduziu o time à vitória contra o Santo André, por 1 a 0, gol de Obina. Além do triunfo muito comemorado pela galera afeana, a Locomotiva contou também com uma incrível combinação de resultados que a beneficiaram.


15 de abril de 1991


Morre José Senador Ferreira, o grande lateral-direito BAIANO, que fez muito sucesso na AFE de 1967 a 73, participando do Tricampeonato do Interior. Realizou 230 jogos e fez 8 gols com a camisa grená. Além de excelente profissional, Baiano era carismático e muito simpático no convívio com a coletividade afeana. Fez sucesso também no São José, tornando-se campeão da 3ª divisão em 1964 e da 2ª divisão em 1965. Na Águia do Vale, Baiano realizou 193 jogos e anotou 8 gols. Sua morte se deu por falência total de órgãos, em sua terra natal (Dom Silvério-MG), onde nasceu em 18.04.1946.


Fonte:
Acervo de “Ferroviária em Campo”

Fotos: Acervo "Ferroviária em Campo"; Lurdinha Zanotto; Douglas Onça; Museu da Ferroviária

Pesquisa, elaboração e edição: Vicente Henrique Baroffaldi e Paulo Luís Micali

terça-feira, 10 de abril de 2018

TIMES CAMPEÕES PELA ANIVERSARIANTE FERROVIÁRIA (POSTAGEM NÚMERO 1000 DO BLOG “FERROVIÁRIA EM CAMPO”)




A Associação Ferroviária de Esportes, de Araraquara, está completando 68 anos de existência neste 12 de abril. Uma vida calcada em altos e baixos, com momentos de alegria e também de tristeza para os seus aficionados. Mas as conquistas do clube grená têm sido marcantes por se tratar de uma agremiação interiorana. A Ferroviária fez escola no futebol, ditou uma forma clássica e muito apreciada de tocar a bola no chão e executar passes rápidos e certeiros. Consolidou vitórias extraordinárias e surpreendeu o mundo do futebol com os seus feitos.


NÚMEROS GERAIS DA HISTÓRIA DA AFE

O arquivo de “Ferroviária em Campo” foi consultado para sabermos quantos jogos a Locomotiva realizou desde sua fundação, em 12 de abril de 1950, até hoje.

Pelo acervo citado, a AFE jogou 3.258 vezes com o seu time principal. Ganhou 1.308 jogos, empatou 899 e perdeu 1.051.

As vitórias conquistadas representam 40%. Os empates, 28%. As derrotas, 32%.

O time marcou 4.836 gols e sofreu 3.933. O saldo positivo de gols é de 903.

A média de gols assinalados por partida é de 1,4. Os sofridos, de 1,2.

Pode ser que alguns amistosos não estejam incluídos nesse levantamento, mas se isso aconteceu, é muito pouco representativo por serem uma minoria insignificante.

Nesse longo período de atividades, a Ferroviária enfrentou 335 adversários, do país e também do exterior.





ATUALIDADE AFEANA

Depois de muita luta, estendida por longos 19 anos, a Ferroviária voltou à divisão principal do futebol bandeirante. Desde 2016, ela se inclui entre os clubes paulistas da elite.

Para fortalecer a recuperação, a equipe avinhada araraquarense conquistou o direito de disputar, na atual temporada, o Campeonato Brasileiro da Série D. A última vez que ela participou de um certame nacional foi em 2002, quando não passou da primeira fase, enfrentando somente clubes paulistas.

Apesar das enormes dificuldades do clube, os seus torcedores aguardam com grande expectativa o início (próximo) do Brasileiro da “D”.


FOTOS DOS TIMES CAMPEÕES


(Competições oficiais promovidas pela Federação Paulista de Futebol)


I – Campeonato Paulista da Segunda Divisão, 1955



II – Campeonato Paulista da Primeira Divisão, 1966



III – Campeão do Interior, 1967

Em pé: Antenor – Rossi – Bebeto – Fogueira – Baiano – Machado – Jacqueline Myrna e Aldo Comito.
Agachados: Valdir – Maritaca – Téia – Bazani e Nei


IV – Bicampeão do Interior, 1968

Em pé:Fogueira, Baiano, Fernando , Bebeto, Rossi e Machado
Agachados: Valdir,  Maritaca,  Téia,  Bazani e Pio (mascote do meio: Dorival Júnior)


V – Tricampeão do Interior, 1969

Elenco Campeão do Interior 1969


VI – Torneio Incentivo, 1977

Em pé: Sérgio Bergantim, Mauro \Pastor, Sérgio Mirnanda, Tinteiro, Paulão e Carlos
Agachados: Zé Rubens, Wilson Carrasco, Volnei, Washingthon e Marquinhos.


VII – Torneio Seletivo, 1982

Em Pé: Vica, Abelha, Zilinho, Hermínio, Zé Rubens, Marinho Paranaense e Bazani,  Agachados: Jorginho, Marinho Rã, Douglas Neves, Sidnei, Claudinho


VIII – Copa FPF, 2006

Em pé: Tuti, Thiago Costa, Mauro, Leandro Donizete e Vagner.
Agachados: Leônico, Francisco Alex, Caiubi, Diego Isaias, Max Carrasco e Tobias


IX – Campeonato Paulista da Série A2, 2015



X – Copa Paulista, 2017

Elenco da Ferroviária Campeão da Copa Paulista 2017



FONTE:
Acervo de “Ferroviária em Campo”

Fotos:Museu da Ferroviária; Tetê Viviani; Ferroviária SA; Internet.

PESQUISA, ELABORAÇÃO E EDIÇÃO: VICENTE HENRIQUE BAROFFALDI e PAULO LUÍS MICALI

11 ANOS DE DANILO E FERROVIÁRIA



Formado na base afeana de 1995 a 1998, o esguio atacanteDanilo alcançou o profissionalismo em 1999, permanecendo no clube até janeiro de 2006, com algumas saídas por empréstimo para clubes como Portuguesa de Desportos e Santo André. 

Teve, na equipe grená de Araraquara, uma temporada de maior brilho em 2003. Naquele ano, Danilo foi o principal artilheiro da AFE na Copa Estado de São Paulo, atual Copa Paulista. Foram sete gols, marcados contra Santo André (1), Nacional (2), XV de Piracicaba (1), Rio Branco (2) e Guarani B (1, de pênalti).

No jogo do dia 13 de julho de 2003, em que a Ferroviária derrotou o Nacional por 2 a 1 e Danilo foi o autor dos dois tentos, o time afeano jogou assim: Milton; Michel, Thiago Alexandre, Guilherme e Birinha; Lucas Polito, Marcel, Carlinhos (Julinho) e Gustavo Carioca; Danilo e Lei (Jansen) (Leonardo). Técnico: Douglas Neves.


 Ferroviária 2003- Em pé: Ito,Milton, Rodrigo Dias, Thiago, Ronaldo,Marcel e Danilo,
Agachados: Leandro Donizete, Birinha, Lucas Polito,Lei e Carlinhos.


Danilo Brasilino nasceu em Araraquara, no dia 29 de maio de 1982

Sempre vinculado à Ferroviária, o espigado avante atuou por Santo André, Portuguesa, Campinas, Jaboticabal e teve passagens rápidas pelo futebol árabe e também pela Grécia.



É o próprio Danilo quem resume:

“Comecei na Ferroviária em janeiro de 1995 e fiquei até janeiro de 2006, quando então pedi rescisão.

Joguei na Ferroviária, Santo André, Portuguesa e Jaboticabal. Na Lusa, em 2000; no Santo André, em 2004. Cheguei no Ramalhão na semana da final da Copa do Brasil. (O Santo André foi campeão.) Comigo só tenho a faixa de campeão, mas tinha também a camisa. Fui jogar a série B do Brasileiro, emprestado pela AFE. O técnico Sérgio Soares gostou de mim. Fiz um gol contra o CRB, em 9 de outubro de 2004.”

Danilo cita os certames disputados pela Locomotiva, durante o seu período no time de profissionais: Paulista da A3, em 2000; B1, em 2001 (“time bom, patrocínio bom... o time subiu”); A3, em 2002 e 2003 (“a gente caiu para a B1, e então se deu a fusão com a S.A. Quatro ou cinco jogadores ficaram, eu entre eles”).


NA LUSA

“No período de AFE joguei em 2000. Acabando o Paulista da A3, nós caímos, fui emprestado para a Portuguesa, eu e o Samuel, na verdade era eu e o Paulinho, e aí conseguiram encaixar. A Portuguesa gostou de mim e dispensou ele. Só que não houve acordo e eu voltei pra AFE.”





CAMPINAS, DO CARECA

“Depois fui emprestado, no mesmo ano, para o time do Careca, o Campinas. Eu e o goleiro Milton. Fomos disputar um Torneio na Itália. Eu era um dos mais novos, não joguei muito. Foi uma boa experiência.”





FUTEBOL INTERNACIONAL

“Em 2001 fui para a Grécia através de um empresário de Minas. Não deu certo.”





SANTO ANDRÉ

“Em 2004 fui emprestado para o Santo André, que estava em plena disputa da Copa do Brasil, na qual acabou sendo campeão. Disputei o Brasileiro da Série B, fiz gol contra o CRB.”


JABOTICABAL

“Em 2005, empréstimo de três meses para o Jaboticabal, retornei e disputei a Copa FPF. A Ferroviária foi bem... chegamos à semifinal contra o Grêmio Barueri. Fomos eliminados por saldo de gols, pois fizemos 2 a 0 aqui e perdemos por 3 a 0 em Barueri.”


SAÍDA DA FERROVIÁRIA

“Em 2006, janeiro, acabei saindo e não dei mais continuidade. Ficou aquele vai não vai durante um ano inteiro... e aí parei.


DEPOIS DO FUTEBOL

“Trabalhei 11 anos na IESA. Saí o ano passado e vim para a Embraer, onde estou até hoje.” 


AGORA, NO FUTSAL 

Está tendo campeonato interno de futsal na Embraer. Danilo não perdeu o faro de gol: é o atual artilheiro com 13 gols. O segundo tem seis gols.


GALERIA DE FOTOS



Danilo - Foto Atual

Danilo com a família: esposa Flávia e a filha Lívia










FONTES:
- Dica do amigo Thiago Merigui para manter contato com Danilo.
- Entrevista concedida pelo ex-atleta, via whatsapp, a Paulo Micali.
- Acervo de “Ferroviária em Campo”

Fotos: Gentilmente enviadas por Danilo Brasilino.

Pesquisa, elaboração e edição: Paulo Luís Micali e Vicente Henrique Baroffaldi